Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras perde pênalti no último lance e é derrotado em casa pelo Sport

Alviverde volta a vacilar no Allianz Parque e sai de campo muito vaiado pela torcida

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2018 | 21h16

O Palmeiras não dá paz para o seu torcedor. Melhor time da primeira fase da Libertadores, classificado para as quartas de final da Copa do Brasil e no alto da tabela no Brasileirão, a equipe tem oscilado demais nas últimas partidas e neste sábado essa irregularidade custou caro. O time perdeu por 3 a 2 para o Sport, no Allianz Parque, e desperdiçou a chance de liderar o campeonato. No fim, sobraram vaias para o time, principalmente para o técnico Roger Machado.

+ TEMPO REAL - Palmeiras 2 x 3 Sport

+ Palmeiras não teve 'lucidez, paciência e sorte', diz Roger

Com Dudu liberado para jogar pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) – no meio de semana, contra o América-MG, pela Copa do Brasil, ele não entrou em campo por estar presente na lista de suplentes escolhidos pelo técnico Tite para o Mundial da Rússia, Roger Machado decidiu poupar o atacante Willian.

Assim, o time foi para campo com o meia venezuelano Alejandro Guerra mais à frente do ataque. No começo do jogo, o Palmeiras não conseguia impor seu ritmo e abusava dos chutões. A transação direta entre defesa e ataca pouco resultava. A saída foi recorrer aos lados do campo e assim o alviverde levava mais perigo.

O técnico Claudinei Oliveira montou um ferrolho – o time tinha em seu campo defensivo uma linha de cinco defensores e um volante, dois meias e um atacante mais isolado. A marcação forte tinha resultado, já que o Palmeiras não conseguia criar nenhuma chance de gol.

A primeira grande chance de gol surgiu apenas aos 28. Em bola levantada para a área, o zagueiro Antônio Carlos cabeceou forte e o goleiro Magrão fez excelente defesa. A pressão do Palmeiras aumentou e o Sport se retraiu, chamando o adversário para a sua área. Assim, o gol alviverde logo sairia – aos 32, Dudu tocou pelo lado da área para Diogo Barbosa. O lateral-esquerdo cruzou e Keno só escorou para abrir o placar.

Os maiores problemas do Palmeiras de Roger Machado ficariam em evidência na segunda etapa. Logo aos cinco minutos, Marlone bateu escanteio e o meia Anselmo cabeceou no travessão. No rebote, Marcos Rocha afastou mal, e o próprio Anselmo bateu para o gol e empatou a partida.

O que parecia tranquilo se transformou em cilada. Com o empate, o Sport voltou a se fechar e o Palmeiras voltou a se complicar na criação das jogadas. Roger Machado perdeu a paciência com Guerra e sacou o venezuelano. Pouco tempo depois, quem saiu sob vaias intensas foi o meia Lucas Lima – Papagaio e Hyoran foram para o jogo. Mais tarde, quem deixou o jogo foi Felipe Melo para a entrada de Deyverson, mas o panorama seguia o mesmo.

Tudo piorou aos 27, quando Marlone tocou para Anselmo, que passou por Keno e por Bruno Henrique, entrou livre na área e tocou fraquinho no canto esquerdo de Jailson, que caiu atrasado e não conseguiu evitar o gol. O jogo passou a se arrastar e o Palmeiras, que não acertava mais nada, acertou com Hyoran. Aos 36, ele passou por um marcador e bateu de esquerda, vencendo Magrão e marcando um belo gol.

O torcedor do Palmeiras que se encheu de esperança numa virada mal sabia o que estava por acontecer. Até o final da partida. Aos 41 minutos, em nova cobrança de escanteio de Marlone o goleiro Jailson saiu muito mal do gol e Rafael Marques ficou com a meta livre para marcar o terceiro gol do time pernambucano.

Aos 47, já no desespero, Keno levantou a bola para área. O atacante Dudu recebeu, ajeitou a bola e de dentro da pequena área bateu com raiva e isolou a maior chance de gol que o Palmeiras teve na partida. Mas não foi a última chance do alviverde empatar.

Aos 49 minutos e 50 segundos, Dudu recebeu a bola na área e teve a camisa puxada por Raul Prata, que acabou expulso. Keno pediu para bater, mas chutou muito mal, facilitando muito a defesa do goleiro Magrão. Fim de jogo. E começo de irritação para o torcedor do Palmeiras – pelo menos até o próximo jogo da equipe, quarta-feira às 21h45, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 x 3 SPORT

Gols: Keno, aos 32 minutos do primeiro tempo; Anselmo, aos 5 e aos 27, Hyoran, aos 36, e Rafael Marques, aos 41 minutos do segundo tempo.

Palmeiras: Jailson; Marcos Rocha, Antonio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Deyverson), Bruno Henrique e Lucas Lima (Hyoran); Dudu, Guerra (Papagaio) e Keno. Técnico: Roger Machado.

Sport: Magrão; Claudio Winck, Raul Prata, Ronaldo Alves, Ernando e Sander; Anselmo (Neto Moura), Rogério, Fellipe Bastos e Marlone; Rafael Marques. Técnico: Claudinei Oliveira.

Juiz: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)

Amarelos: Felipe Melo, Diego Barbosa, Marcos Rocha, Anselmo e Raul Prata

Vermelho: Raul Prata

Renda: R$ 1.506.726,18

Público: 25.947 pagantes

Local: Allianz Parque, em São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.