JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Palmeiras pode quebrar recorde de maior série invicta em casa em Brasileiros

Sem perder há 27 jogos como mandante na competição, equipe recebe a Chapecoense nesta quarta-feira, no Allianz Parque

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2019 | 04h30

Na volta ao Allianz Parque, na partida contra a Chapecoense, nesta quarta-feira, o Palmeiras pode quebrar o recorde de maior sequência invicta como mandante na história do Campeonato Brasileiro. A equipe não perde em casa há 27 jogos, a mesma série conquistada entre 1985 e 1987. O Palmeiras voltará a jogar no Allianz após ter mandado a partida contra o Botafogo no Pacaembu, no último sábado, com vitória de 1 a 0. Isso porque a casa alviverde recebeu show da dupla Sandy e Júnior.

A última vez que o Palmeiras perdeu em casa pelo Brasileirão foi no dia 26 de maio de 2018, por 3 a 2 diante do Sport. De lá para cá, são 23 vitórias e quatro empates. Nesta edição do Nacional, a equipe está em segundo lugar na tabela, com 50 pontos. O líder Flamengo tem 58, enquanto o Santos, terceiro colocado, soma 48. O jogo contra a Chapecoense será realizado às 21h e vale pela 26ª rodada.

Mano Menezes comentou que não pretende fazer rodízio de seus jogadores, embora ele tenha colocado muita gente para jogar. Ele resgatou Lucas Lima no meio de campo. O ex-santista vem sendo muito mais utilizado agora do que quando o time era comandado por Felipão. Deyverson também ganhou sua chance com Mano, mas não foi bem. O técnico chegou a dizer que ele preisa ter mais tranquilidade para atuar. 

O Palmeiras finaliza a preparação em treino na tarde desta terça, na Academia. Uma provável escalação para a partida teria: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa; Dudu, Willian e Deyverson. Luiz Adriano ainda se recupera de contratura muscular e Borja não tem ganhado muito moral com o treinador. A Chape é lanterna da competição. No fim de semana, conseguiu arrancar um empate do Cruzeiro em casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.