Palmeiras pode ter mais reforços, diz Toninho Cecílio

Depois de fechar com o atacante Kléber, do Dínamo de Kiev, clube busca mais um meia e um volante

Juliano Costa, Jornal da Tarde

14 de fevereiro de 2008 | 10h12

O ciclo de contratações do Palmeiras não vai se encerrar com a chegada do atacante Kléber, emprestado pelo Dínamo de Kiev, da Ucrânia. "Estaremos sempre atentos ao mercado", diz o gerente de futebol Toninho Cecílio. O dirigente evita falar em posições, mas, nos bastidores, comenta-se que um volante e um meia ainda podem ser contratados. Veja também: Luxemburgo faz balanço dos dois meses no clube O acerto com o atacante Kléber, do Dínamo de Kiev, foi anunciado nesta quarta-feira, depois do aval do clube ucraniano. Desde a véspera já estava tudo apalavrado entre o jogador e o clube alviverde. Kléber chega segunda-feira da Ucrânia. Ele fica no Palmeiras emprestado pelo Dínamo por seis meses, com prioridade de renovação por mais um semestre. Kléber tem 24 anos e joga há quatro temporadas no Dínamo. Ele chega com o aval do técnico Vanderlei Luxemburgo. Revelado pelo São Paulo, ele é o nono reforço do Palmeiras, depois de Elder Granja, Henrique, Diego Souza, Léo Lima, Denilson, Lenny, Jorge Preá e Alex Mineiro. Quem cuidou da transferência de Kléber para o Palmeiras foi o empresário Giuseppe Dioguardi, na Ucrânia. "Estou levando para o Brasil toda a documentação necessária aqui do Dínamo para que possamos finalizar o negócio. Acredito que na semana que vem, no máximo na próxima na quarta-feira, o Kléber se apresente ao Palestra", disse o empresário. Já a contratação de Fred não deve mais acontecer. Os dirigentes do Palmeiras tinham esperança de que a Traffic conseguisse tirar o atacante do Lyon e trazê-lo para o Brasil. Representando a agência, o empresário Wagner Ribeiro tem uma reunião com os dirigentes do Lyon marcada para sexta-feira. "Mas já fui informado de que o Fred não sai de lá antes de junho", disse Ribeiro. ESTRÉIAA primeira partida de Denilson pelo Palmeiras não deve ser no sábado, contra o Juventus, em Ribeirão Preto. Toninho Cecílio acha que não conseguirá inscrevê-lo a tempo na Federação Paulista de Futebol, já que alguns documentos precisam vir dos Estados Unidos, onde o atacante vinha jogando pelo Dallas. Já o lateral-esquerdo Leandro acredita que é possível obter a liberação junto ao Porto, de Portugal, e estender seu vínculo com o Palmeiras, que acaba em junho. "Quero ficar aqui", disse Leandro, que vem sendo elogiado por Luxemburgo. Os direitos econômicos dele são divididos entre o Porto (75%) e o Cruzeiro (25).

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.