JF Diório/Estadão
JF Diório/Estadão

Palmeiras pode trocar Wesley por Neto Berola, do Atlético-MG

Galo pretende oferecer atacante ao time paulista para contar com o volante até o Mundial de Clubes

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

09 de agosto de 2013 | 07h30

SÃO PAULO - Palmeiras e Atlético-MG negociam o empréstimo de Wesley. O Galo tem interesse em contar com o volante até o fim do ano e estaria disposto a oferecer em troca o atacante Neto Berola, que está sem espaço no time de Cuca.

Foi a diretoria do clube mineiro quem procurou o Alviverde para saber a possibilidade de contar com Wesley até o Mundial de Clubes, que será disputado em dezembro, no Marrocos. Para o presidente Paulo Nobre, nenhum jogador é inegociável. Ele, então, pediu que o Atlético-MG apresentasse uma proposta mais concreta.

O Galo já se dispôs a pagar integralmente os salários de Wesley, mas o Estado apurou que nos próximos dias o clube mineiro também vai oferecer Neto Berola. Não é a primeira vez que o atacante é envolvido em uma negociação com o Palmeiras. No começo do ano passado, Luiz Felipe Scolari chegou a pedir Neto Berola em troca de Pierre. Não houve acordo e o Atlético-MG acabou cedendo o meia Daniel Carvalho.

Para o Palmeiras, emprestar Wesley ajudaria a enxugar a folha salarial do futebol, um dos desafios da gestão de Nobre. O volante recebe aproximadamente R$ 300 mil. Apesar de ter se firmado entre os titulares, a avaliação de alguns diretores é que o atleta não está rendendo tudo o que pode.

Outro fator que pesa a favor do empréstimo do jogador para o Atlético-MG é que, disputando a Série A do Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil e o Mundial de Clubes, ele se valorizaria e o Palmeiras conseguiria, na próxima temporada, recuperar os R$ 14 milhões gastos ano passado para tirá-lo do Werder Bremen, da Alemanha. O volante tem contrato com o Palmeiras até fevereiro de 2015.

O interesse do Atlético-MG pelo volante é antigo. No ano passado, o clube chegou a entrar na disputa para repatriar o atleta, mas a oferta feita pelo Alviverde foi superior. Nesta quinta-feira, após o treino, Wesley conversou com o Estado e despistou sobre o interesse do Galo. “Não recebi nada”, disse. O volante, no entanto, foi evasivo quando perguntado se o seu futuro seria no Palmeiras ou no Atlético-MG. “A vida segue”, limitou-se a responder.

Falta de opções. Após o título da Libertadores e com a venda do meia Bernard para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, a diretoria do Galo foi às compras a fim de buscar alguns reforços pontuais para o Mundial. As opções, no entanto, são escassas porque a janela de transferências para a contratação de jogadores do exterior está fechada e são poucos os atletas da Série A do Brasileiro que não atingiram o limite de seis jogos que permite a eles defender outra equipe na competição.

A solução, então, é buscar jogadores na Série B, caso de Wesley, ou conseguir manobras jurídicas como a que permitiu a contratação do atacante Fernandinho, ex-São Paulo, que estava no Al-Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, mas registrado no Desportivo Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
palmeirasfutebolatlético-mg

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.