Palmeiras põe culpa na falta de sono

Uma polêmica tomou conta dos vestiários de Palmeiras e São Paulo após a partida deste domingo. Os jogadores palmeirenses acharam que o fato de terem acordado às 6 horas de hoje para viajarem a São José do Rio Preto prejudicou a equipe, que sentiu o desagaste. Por isso, segundo eles, o Tricolor, que deixou a capital no sábado, venceu tão facilmente o clássico: 3 a 0.Numa política de contenção de gastos, a diretoria palmeirense quis aproveitar um acordo feito com a Federação Paulista de Futebol (FPF), que se propôs a pagar o vôo para as duas equipes, mas a viagem tinha de ser no dia do jogo. "O São Paulo não cumpriu o acordo e fomos prejudicados", reclamou o diretor de futebol do Palmeiras, Américo Faria. O diretor do Tricolor, José Dias, rebateu, dizendo que foi uma opção do clube do Morumbi viajar no dia anterior e pagar do próprio bolso todas as despesas para não sobrecarregar a equipe. "Se o Palmeiras preferiu ir no mesmo dia é problema do clube", ironizou.Para o técnico do São Paulo, Oswaldo Alvarez, a equipe atingiu o objetivo de ficar entre os quatro primeiros colocados do Paulista, que chegam às semifinais. "Agora precisamos manter o ritmo", pediu. Para ele, o seu time jogou muito bem tanto no primeiro quanto no segundo tempo. "Primeiro imprimimos um ritmo forte e depois soubemos tocar a bola", analisou.Um dos heróis do jogo, o volante Júlio Batista, não escondia a satisfação com a atuação são-paulina. "Nossa movimentação fez com que o Palmeiras tivesse muitas dificuldades", ressaltou o jogador, que é neto do ex-goleiro Mão de Onça, que defendeu o Juventus nos anos 60.A próxima partida do São Paulo será no sábado, contra a Portuguesa Santista, em Santos. Para o confronto, Vadão poderá contar com os retornos do meia Carlos Miguel, dos volantes Fabiano e Maldonado, além do zagueiro Jean, que cumpriram suspensão.Choro - Do lado palmeirense, o técnico Celso Roth lamentava as dificuldades encontradas no início de trabalho. Segundo ele, as poucas opções nas laterais, por causa da suspensão de Daniel e da contusão de Taddei, contribuíram para que a equipe não rendesse bem.Roth destacou que na lateral esquerda, tanto Felipe quanto Rubens estão em má forma física. Ele admitiu, porém, que a equipe falhou muito na marcação. "Não se escolhe o momento para dirigir uma grande equipe. Estou em início de trabalho e ainda na metade do campeonato", afirmou. "Por isso há tempo para reverter a situação", completou, referindo-se à penúltima colocação da equipe, na zona de rebaixamento do torneio.Na quarta-feira, o Palmeiras enfrentará o Sport Boys, em Lima, pela Copa Libertadores. Já no domingo, a equipe vai a Santa Bárbara d?Oeste, onde pega o União Barbarense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.