Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

'Palmeiras possui uma identidade, não importa quem jogue', diz zagueiro Gustavo Gómez

Felipão deve fazer cinco ou seis mudanças na equipe que vai enfrentar o Palmeiras no sábado

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2019 | 16h28

Um dos destaques da defesa do Palmeiras, a melhor do Campeonato Brasileiro, o zagueiro Gustavo Gómez afirma que o time possui uma identidade, uma maneira de jogar que é mantida independentemente dos jogadores que são escalados. Para o jogo diante do São Paulo, por exemplo, o técnico Luiz Felipe Scolari já adiantou que serão feitas cinco ou seis mudanças em relação à equipe que venceu o Internacional, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

"Estamos muito bem, treinando da mesma forma. No ano passado, também foi assim, o professor trocava muito, e conseguimos ganhar o Brasileiro. Neste ano vai ser igual. Jogue quem jogue, o Palmeiras tem uma identidade. Não importa se é a equipe A, B ou C, vai jogar da mesma maneira", afirmou o defensor paraguaio em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira na Academia de Futebol.

Gómez é o principal jogador de uma defesa que não sofre gols como mandante há 13 jogos (são 11 no Allianz Parque e dois no Pacaembu), mas não tem presença garantida no clássico deste sábado. "É um jogo importante, um clássico. É trabalho do Felipão (quem vai jogar), tem 30 jogadores disponíveis. Vai tratar de fazer o melhor. Se não quiser trocar o time estamos disponíveis. Todo mundo quer jogar clássico, mas quem decide é o professor", disse Gómez.

Ao lado de Luan, Gómez está há mais de 1000 minutos sem tomar gol. "Sempre trabalhamos muito para fazer um bom jogo, não somente com Luan. Com Antônio Carlos e Edu também. Todos sabem que Luan é um jogador muito importante para nós, para o Palmeiras. Estou fazendo uma boa dupla com Luan. Estamos tentando não tomar gols, deixando o time tranquilo para fazer os gols", afirmou.

No início de julho, o Palmeiras registrou o novo contrato com Gómez, que segue vinculado ao Milan até o início de janeiro de 2020. Depois, o clube vai registrar o contrato em definitivo, com duração até junho de 2021.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.