Palmeiras precisa de aproveitamento de rivais do G-4 do Brasileiro para se salvar

Equipe terá de obter 26 pontos nos últimos 13 jogos, feito nunca antes alcançado pelo clube nos pontos corridos

Pedro Proença, especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

18 de setembro de 2012 | 12h58

SÃO PAULO -  Para sair da situação desesperadora na qual se encontra (20 pontos, vice-lanterna e a 8 de sair da zona de rebaixamento), o Palmeiras precisará de 26 pontos nos próximos 13 jogos, pelo menos é o que mostram os números do próprio campeonato em edições anteriores. O time de Marcos Assunção, Barcos e Valdivia se vê obrigado a fazer quatro pontos a cada duas partidas: uma vitória e um empate. A façanha configuraria em um aproveitamento de 66,6% dos 39 pontos em disputa. Fácil? Nem para esse Palmeiras nem para outras equipes nos últimos anos.

O máximo que o Palmeiras conseguiu nas últimas 13 partidas de uma edição do Brasileirão por pontos corridos foram 24 pontos, nas edições de 2004 e 2005. Em 2005, por exemplo, o time de Marcos, Juninho Paulista, Pedrinho e do técnico Emerson Leão obteve sete vitórias e três empates. Caso some os 26 pontos a começar de sábado, contra o Figueirense, chegará a 46 - pontuação que nunca rebaixou time algum desde que o campeonato por pontos corridos passou a ser disputado por 20 equipes, de 2006 em diante.

Reeditar a campanha da reta final de 2004/2005 teria sido suficiente para salvar o Palmeiras nas disputas do ano passado, 2010 e também de 2006 (quando os primeiros rebaixados atingiram 41, 42 e 39 pontos respectivamente), mas encaminharia o clube à segunda divisão em 2007, 2008 (na ocasião, Figueirense e Náutico ficaram empatados com 44 pontos, mas a equipe pernambucana se salvou graças ao saldo de gols) e 2009.

"Neste ano, para se salvar, será preciso fazer 46 pontos. Flamengo e Coritiba, primeiros times fora do zona de rebaixamento, já têm 28. Para chegar aos 43, teriam de somar 15 pontos em 13 jogos, o que parece bastante razoável. Com 46, não há risco algum, está salvo", garante o matemático Tristão Garcia. 

 

Em nenhuma outra edição dos pontos corridos o Palmeiras conseguiu pontuação semelhante nas 13 partidas finais: fez 14 pontos em 2006; 18 em 2007; 19 em 2008; 15 em 2009 e 2010; e apenas 12 no ano passado. 

O Palmeiras também pode se inspirar no Fluminense de 2009, que era, diga-se, um time melhor, com Conca e Fred em ótimas fases. O tricolor do Rio tinha 18 pontos em 25 rodadas jogadas, a 8 pontos do Naútico, primeiro clube fora do descenso. Porém, nos 13 jogos seguintes, obteve nada menos do que 28 pontos, chegando a 46. Na ocasião, o Flu obteve oito vitórias (seis das quais seguidas) e quatro empates. "O Palmeiras tem 92% de probabilidade de cair. Em 2009, o Fluminense chegou a ter 98% quando faltavam 10 rodadas para o fim da disputa, mas se salvou. É possível, mas vai ser difícil", diz Tristão.

VEJA AS CAMPANHAS DO PALMEIRAS NAS ÚLTIMAS 13 RODADAS DO BRASILEIRÃO

2004 - 24 pontos: 7 vitórias, 3 empates e 3 derrotas

2005 - 24 pontos: 7 vitórias, 3 empates e 3 derrotas

2006 - 14 pontos: 4 vitórias, 2 empates e 7 derrotas

2007 - 18 pontos: 5 vitórias, 3 empates e 5 derrotas

2008 - 19 pontos: 5 vitórias, 4 empates e 4 derrotas

2009 - 15 pontos: 4 vitórias, 3 empates e 6 derrotas

2010 - 15 pontos: 4 vitórias, 3 empates e 6 derrotas

2011 - 12 pontos: 2 vitórias, 6 empates e 5 derrotas

 

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.