'Palmeiras precisa ganhar um título', diz Marcos Assunção

Equipe enfrenta o Corinthians neste domingo, pela semifinal do Campeonato Paulistano

AE, Agência Estado

27 de abril de 2011 | 15h17

SÃO PAULO - Após uma grande campanha na primeira fase do Campeonato Paulista e de chegar às semifinais, nas quais enfrentará o Corinthians, neste domingo, no Pacaembu, o Palmeiras começa a sonhar de forma mais próxima com o título da competição. A equipe vive boa fase na temporada - também está nas quartas de final da Copa do Brasil - e vê no torneio estadual uma boa oportunidade de quebrar o jejum de títulos, que dura desde o Paulista de 2008.

"O Palmeiras necessita ganhar um título e acho que esse é um bom momento. Vivemos um ambiente bacana e esse grupo está merecendo conquistar coisas boas", declarou o volante Marcos Assunção, nesta quarta-feira, antes de comentar sobre o equilíbrio das semifinais - que contam ainda com São Paulo e Santos. "Se existe esse equilíbrio, a gente precisa ser melhor em alguma coisa. Por isso que nossa superação e concentração dentro de campo precisam ser maiores que a do Corinthians", completou.

Para o volante, o bom nível das equipes faz com que não haja um favorito ao título. "Seria falta de respeito eu vir aqui e falar que somos favoritos. Para falar a verdade, quando quatro times grandes se encontram, é difícil apontar um vencedor, e isso independe da fase que cada um deles esteja passando", analisou.

Na primeira fase, em jogo disputado no Pacaembu - onde será o jogo deste domingo -, o Corinthians venceu o Palmeiras, por 1 a 0. Para Assunção, essa partida servirá como ensinamento para o duelo de semifinal.

"Contra o Corinthians, nós martelamos o jogo inteiro, tivemos mais volume de jogo e criamos pelo menos umas cinco, seis chances de gol. O Corinthians foi lá e em um lance decidiu o jogo. Isso com certeza não pode se repetir e a gente carrega tudo isso como lição", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.