Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Palmeiras prevê R$ 561 milhões de receita em 2019 sem contar acordo com TV

Clube estima superávit de, no mínimo, R$ 15 milhões e arrecadação de R$ 50 milhões em venda de atletas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2018 | 21h19

O Conselho Deliberativo do Palmeiras aprovou na noite desta quarta-feira a previsão orçamentária para 2019, em que projeta receita de R$ 561 milhões e superávit de R$ 15 milhões. Tudo isso, sem levar em consideração os direitos de transmissão de seus jogos, já que ainda não fechou acordo com a Rede Globo.

Nas receitas, porém, já estão contabilizadas parte da renda paga pelo Esporte Interativo, que terá o direito de transmissão das partidas em canal fechado. O acordo com a Globo visa a exibição dos jogos na TV aberta e pay-per-view e, embora clube e emissora ainda negociem, a tendência é que os valores ultrapassem os R$ 70 milhões.

Na previsão também consta que o Palmeiras pretende receber R$ 50 milhões de venda de jogadores. Entretanto, a diretoria deixa claro que desde o início as previsões orçamentárias estão sendo feitas com cautela e que a tendência é que todos os valores sejam maiores. Em 2018, a previsão era ter um faturamento de R$ 477 milhões, mas o Palmeiras teve R$ 660 milhões de receitas, valor bem acima do esperado e superávit de R$ 30 milhões.

Ainda nesta quarta-feira, o clube anunciou a contratação do volante Matheus Fernandes, do Botafogo.  

 

 

Mais conteúdo sobre:
Palmeirasfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.