Palmeiras procura atacante, mas vê Kléber como sonho

A saída praticamente certa de Vágner Love e a necessidade de reforçar o setor ofensivo estão fazendo a diretoria do Palmeiras negociar a contratação de atacantes. O gerente de futebol Toninho Cecílio garantiu, neste domingo, que o ataque é a principal preocupação da diretoria neste momento.

AE, Agencia Estado

10 de janeiro de 2010 | 17h24

"Independente do que acontecer com o Vágner Love, estamos negociando a vinda de mais um homem de frente. É uma posição que temos uma certa carência e as conversas estão acontecendo", afirmou o dirigente, que tem menos de uma semana para contratar atacantes para a estreia do Palmeiras no Campeonato Paulista, no dia 16, contra o Mogi Mirim.

O dirigente reconheceu que o clube tenta contratar Kléber, do Cruzeiro, mas admitiu que a negociação é complicada. "É uma negociação extremamente difícil. Não dá para dizer que a chance é zero, pois isso não existe no futebol e nós ainda temos interesse, mas a conversas não tiveram prosseguimento", disse.

Cecílio explicou que faltam pequenos detalhes para o Palmeiras contratar o volante Edinho e manter o atacante Robert, destaque do primeiro jogo-treino da equipe em 2010. "Já está tudo acertado com o Edinho e as partes envolvidas. Ele só não assinou ainda porque o Lecce e o Internacional precisam resolver algumas pendências. Acredito que até terça-feira poderemos ter um desfecho. Já o Robert tem tudo acertado e estamos aguardando apenas um fax do Monterrey", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasToninho Cecílio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.