César Greco/Divulgação
César Greco/Divulgação

Palmeiras projeta vitória e volta ao G-4 para esquecer goleada

Meta é desbancar a Ponte e 'apagar' o 5 a 1 para a Chapecoense

DANIEL BATISTA, Estadão Conteúdo

13 de outubro de 2015 | 18h32

O Palmeiras já sabe como esquecer de vez a goleada de 5 a 1 para a Chapecoense na última rodada do Campeonato Brasileiro. A ordem é fazer o dever de casa, vencer a Ponte Preta, quarta-feira, às 21h, no Allianz Parque, e torcer contra os rivais Santos e São Paulo, que estão na frente da equipe alviverde por apenas um ponto.

"Não adianta ficar remoendo muito. Até uns três dias depois do jogo nós conversamos bastante, mas tem que esquecer. Se fizermos a nossa parte, temos tudo para voltar ao G4, já que os dois que estão na nossa frente têm jogos complicados", apostou o volante Thiago Santos, que retorna ao time após cumprir suspensão.

Caso vença a Ponte Preta, o Palmeiras ainda não terá assegurada a vaga no G4 ao término da rodada. Para isso, terá que torcer contra o São Paulo - que visita o Fluminense também na quarta, às 22h - e contra o Santos, que na quinta-feira encara o Grêmio, às 21h, em Porto Alegre. Um dos dois, pelo menos, não pode vencer. Até mesmo com um empate o alviverde pode acabar a rodada no G4, desde que Santos e São Paulo sejam derrotados.

Com chances pequenas de título, o Palmeiras foca a classificação para a Copa Libertadores como grande objetivo na temporada. O time ainda pode garantir o objetivo através da Copa do Brasil, na qual disputará a semifinal contra o Fluminense. E, para conseguir superar a Ponte Preta, o técnico Marcelo Oliveira aproveitou a folga na tabela para tentar corrigir os erros defensivos, principalmente de bola parada.

Nesta terça-feira, o treinador comandou na maior parte do treinamento um trabalho de bola parada e cobrou bastante os jogadores, pedindo maior atenção na marcação. "Levamos alguns gols. No último (jogo) levamos alguns. Nosso time é alto e faz muitos gols, mas precisamos melhorar lá trás. O Marcelo manda a gente ficar atento para não levar tantos gols", disse Thiago Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.