Reprodução TV
Reprodução TV

Palmeiras promete excluir quem expulsou torcedores do estádio no domingo

Na derrota para o Flamengo, torcedores sem a camisa do clube foram obrigados a deixar arquibancada

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2019 | 13h27

O Palmeiras divulgou nota oficial nesta terça-feira informando que abriu investigação para identificar os autores dos casos de discriminação ocorridos no Allianz Parque, domingo, na derrota para o Flamengo por 3 a 1. De acordo com o clube, "estádio de futebol é, essencialmente, um espaço democrático, um lugar onde todos deveriam ser bem-vindos independentemente da camisa que vestem ou da forma como torcem e se expressam", diz trecho do documento.

Duas situações diferentes foram flagradas pelos próprios torcedores e pelas câmeras de TV nas arquibancadas. Um vídeo mostra torcedores do Palmeiras constrangendo e ameaçando dois homens na arena por não estarem com camisas do clube. Os agressores suspeitavam que eles fossem flamenguistas. Um dos ameaçados é o ex-jogador Diego de Jesus Lima, o Lima, que jogou por vários clubes do Nordeste. Ele hoje atua na várzea e desenvolve o projeto social "Cambalhota de Guaianases". "Esses caras que fizeram isso com a gente são covardes. Não representam o Palmeiras de verdade", escreveu Lima nas redes sociais. 

Em outro episódio, alguns torcedores alviverdes retiraram do estádio o palmeirense Edílson que, insatisfeito com o time, passou o primeiro tempo em silêncio lendo um livro na arquibancada. Abaixo, a nota oficial do Palmeiras:

Estádio de futebol é, essencialmente, um espaço democrático, um lugar onde todos deveriam ser bem-vindos independentemente da camisa que vestem ou da forma como torcem e se expressam. A Sociedade Esportiva Palmeiras não compactua e não aceita quaisquer atos de intimidação, intolerância e discriminação em nossa casa. Os episódios do último domingo (02), em que espectadores foram coagidos a deixar o Allianz Parque por não seguirem um padrão de comportamento imposto de maneira autoritária, não refletem a história agregadora da nossa instituição.

Assim que tomamos conhecimento dos fatos, abrimos investigação para identificar os autores desses lamentáveis casos de violência que em nada contribuem para o bom convívio em sociedade. Se os responsáveis constarem do quadro de sócios Avanti do Palmeiras, serão sumariamente excluídos do programa. O respeito ao próximo é o mínimo que se espera em qualquer ambiente, ainda mais em uma praça esportiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.