Palmeiras prorroga contrato do meia Caio por mais cinco anos

Acordo foi feito em reunião na noite desta terça; meia já tem proposta do Ajax e Real está de olho

Juliano Costa, Jornal da Tarde

30 de outubro de 2007 | 23h38

A diretoria do Palmeiras chegou nesta terça-feira a um acordo com o empresário do meia Caio, Fernando César, para prorrogar o contrato do jogador por mais cinco anos. A reunião aconteceu no CT da Barra Funda, à noite. Os salários e a multa rescisória também já foram definidos, mas são mantidos em sigilo. Caio não participou da reunião. O contrato deve ficar pronto nos próximos dias. Para o negócio ser sacramentado, falta só o pagamento de pouco menos de R$ 1 milhão para o Grêmio Barueri, dono de seus direitos. O Verdão tem até o dia 20 de dezembro para fazer o pagamento. Apesar de o novo contrato ser de cinco anos, Caio deve ficar no Palmeiras somente até a metade do ano que vem, quando se transferiria para o futebol europeu - o Ajax já fez proposta e o Real Madrid deve enviar representante nos próximos dias. O contrato longo serve só para poder aumentar a multa rescisória - quanto maior o vínculo, maior o valor.O Palmeiras ficará com 50% de seus direitos. A outra metade permanece com o Grêmio Barueri, que tenta emprestar outro jogador ao Verdão: o atacante Thiago Humberto. O Palmeiras ainda procura reforços no Chile. O meia Fernando Meneses, que pertence ao Colo-Colo e está emprestado ao Cobreloa, foi elogiado pelo diretor de futebol Genaro Marino, que o viu em ação semana passada. "Seria lindo jogar no exterior", disse Meneses, ao jornal chileno Las Últimas Notícias. Outros jogadores observados foram os meias Gonzalo Fierro, do Colo-Colo, e Carlos Villanueva, do Audax - todos da Seleção Chilena. Genaro foi também para a Argentina. Falou com empresários locais e deixou em aberto a possibilidade de voltar ao País em breve atrás de reforços. "Foi uma primeira visita de cortesia, para fazer contatos", disse Genaro. "Não fizemos propostas concretas por ninguém. Ainda." Valdivia O procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, deve entrar nesta quarta-feira com o pedido de suspensão preventiva de Valdivia, acusado de agredir dois jogadores do Vasco (Thiaguinho e Alan Kardec) em partida realizada no domingo, em São Januário. O pedido será analisado pelo presidente do STJD, Rubens Approbato. Se for deferido, Valdivia fica fora não só do jogo desta quinta-feira, contra o Juventude, mas também da partida com o Sport, no Recife, domingo. Martinez será seu substituto. "Já vi jogador chutar a cabeça do outro e não ser suspenso preventivamente, como querem fazer com o Valdivia", reclamou o atacante Rodrigão.  Schimitt quer enquadrá-lo no artigo 253 (agressão) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que renderia ao 'Mago' uma pena entre 240 e 1.080 dias. O Palmeiras quer que o chileno seja julgado em outros artigos (o 254 ou 255, que falam em "jogada violenta" e "ato de hostilidade", respectivamente), que prevêem pena inferior a seis jogos.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasCaiorenovação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.