André Lessa/AE
André Lessa/AE

Palmeiras quer a vitória sobre o Cruzeiro para entrar no G-4

Equipe alviverde busca triunfo no Palestra Itália para ficar em posição privilegiada no Campeonato Brasileiro

Amanda Romanelli - O Estado de S. Paulo,

13 de junho de 2009 | 21h42

Passado, presente e futuro estarão juntos, neste domingo, no Palestra Itália. Em duas horas, o torcedor palmeirense fará uma viagem no tempo: antes do jogo contra o Cruzeiro, às 18h30, relembrará a conquista da Copa Libertadores de 1999, graças à homenagem que a diretoria do clube vai prestar aos atletas daquela campanha. O confronto terá transmissão ao vivo da rádio Eldorado/ESPN, também no FM 107,3, e cobertura online do estadao.com.br.

Veja também:

especialVisite o canal especial do Brasileirão

especialJogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Assim que a partida começar, a busca por um lugar no G-4 do Campeonato Brasileiro - que passa, necessariamente, por uma vitória diante dos mineiros - estará sendo decidida. Após o apito final, será a vez de colocar o triunfo contra o Nacional, no Uruguai, como meta a ser atingida.

A conquista da América pauta o encontro. Alex, Evair e outros ídolos do título de dez anos atrás servirão de inspiração para quem, hoje, veste a camisa alviverde. Disposto a recolocar o troféu na galeria palestrina, o técnico Vanderlei Luxemburgo afirmou que a partida deste domingo será uma prévia do que o palmeirense verá na próxima quarta-feira, em Montevidéu. Quem for escalado contra o Cruzeiro, também enfrentará o Nacional. "Vamos fortes para as duas partidas".

Depois do empate por 1 a 1 em casa, o Palmeiras precisa vencer os uruguaios para sonhar com a semifinal da Libertadores. E, quem sabe, até enfrentar o mesmo Cruzeiro na decisão - a equipe celeste também briga pela vaga esta semana. Após vencer o jogo de ida por 2 a 1, decide a classificação contra o São Paulo, na quinta.

Luxemburgo promete levar a campo o que tem de melhor porque não quer ver o líder Internacional disparar no Campeonato Brasileiro Com a vitória diante

Palmeiras
Marcos; Wendel, Danilo, Maurício Ramos e Armero; Pierre, Mozart, Cleiton Xavier e Diego Souza; Obina e Keirrison
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Cruzeiro
Fábio; Jancarlos, Leonardo Silva (Léo Fortunato), Gustavo e Sorín; Henrique, Elicarlos, Marquinhos Paraná e Bernardo; Wellington Paulista e Wanderley
Técnico: Adílson Batista
Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS)

Estádio: Palesta Itália, em São Paulo (SP)

Horário: 18h30

Rádio: Eldorado/ESPN - AM 700 FM 107,3

TV: Pay-per-view

do Cruzeiro, admite, pode começar a pensar no grupo dos quatro melhores do torneio - o Palmeiras começou a rodada na 6.ª posição.

"Cada jogo tem sua importância, mas para cada competição as duas partidas contam muito", salientou o treinador. "Uma vitória sobre o Cruzeiro pode nos deixar no G-4. A classificação diante do Nacional nos leva à semifinal da Libertadores. São dois jogos decisivos. É melhor nem separar um do outro".

O que mais preocupa o técnico, entretanto, é a irregularidade da equipe, especialmente jogando em casa. As vitórias contra Coritiba e Vitória, ambas por 2 a 1, foram de virada e nos minutos finais. Luxemburgo pede uma melhor atuação, mas também vê pontos positivos. "Não posso achar também que tudo está uma droga. Já estamos criando uma forma de jogar e os jogadores estão entendendo o que é pedido. Isso é muito importante".

Para o meia Diego Souza, as dificuldades de jogar em casa estão longe do velho ‘fantasma’ do Palestra Itália. Não há intimidação da equipe no estádio alviverde. O problema está na forma de atuar dos adversários. "O nível do Brasileiro e da Libertadores está muito alto. O problema é que os outros times vêm muito fechados para jogar no Palestra. É mais difícil destruir do que construir".

Ainda assim, o jogador admite que o Palmeiras está devendo um bom futebol, apesar das vitórias. E, na prévia da Libertadores, quer atingir dois objetivos. "Temos de vencer e convencer".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.