Nelson Perez/Divulgação
Nelson Perez/Divulgação

Palmeiras quer Abel Braga como treinador e Valentim de auxiliar

Clube começa a rascunhas comissão técnica para a próxima temporada e tem interesse no comandante do Fluminense

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

21 Novembro 2017 | 13h56

A diretoria do Palmeiras tem um nome favorito para assumir o comando do time em 2018. O trabalho dos dirigentes é contar com Abel Braga, atualmente no Fluminense, e manter na comissão técnica Alberto Valentim. O atual treinador recebeu nesta semana uma proposta do clube para ser mantido como auxiliar, cargo que já ocupou de forma ininterrupta por dois anos.

+ Prass revela que terá reunião para renovar contrato

+ Palmeiras sai na frente na busca por reforços

Internamente a diretoria do Palmeiras vê Abel Braga como um nome experiente, respaldado por títulos e com estilo de de liderança. Depois de ter apostado no jovem Eduardo Baptista no começo de 2017, o clube analisa ser necessário trazer um profissional com perfil diferente para lidar com um elenco badalado que no próximo ano terá como ambição ganhar a Libertadores, competição vencida pelo treinador com o Inter, em 2006.

Nesta segunda-feira, depois da vitória do Fluminense sobre a Ponte Preta no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, o treinador não garantiu a permanência no cargo e contou que o filho, Fábio Braga, já recebeu o contato de um clube interessado na sua contratação. Aos 65 anos, o técnico jamais trabalhou em um time da capital paulista.

Em outra frente de negociação o Palmeiras espera manter Alberto Valentim no clube. Apesar de o atual treinador ter manifestado o interesse de ser efetivado no cargo, a diretoria prefere mantê-lo como auxiliar e lhe ofereceu essa proposta. No fim do último ano, ao recusar a manutenção como assistente, Valentim preferiu deixar a equipe e assumir o comando do Red Bull.

Após a experiência no time, Valentim retornou ao cargo de auxiliar do Palmeiras em junho, a pedido do então técnico Cuca e do diretor de futebol Alexandre Mattos. Nesta segunda-feira, depois da derrota para o Avaí, em Florianópolis, o atual treinador reiterou que tem o objetivo de seguir na função e contou ter passado dois anos se preparando para a oportunidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.