Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras quer estender rodízio de titulares para os goleiros

Depois de Weverton ter sido mantido na posição, equipe deve ter Prass e Jailson em campo mais vezes em 2019

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

16 Dezembro 2018 | 04h30

A comissão técnica do Palmeiras deve adotar em 2019 um planejamento diferente. Assim como nesta temporada a equipe teve um rodízio de titulares, o plano é estender a troca de jogadores para os goleiros, posição que permaneceu intacta à rotação de elenco promovida por Luiz Felipe Scolari.

Weverton terminou 2018 como titular no gol, porém no próximo ano a tendência é a torcida ver Prass e Jailson em ação mais vezes. Uma das ideias do Palmeiras é deixar o goleiro titular ter uma sequência de até seis partidas, para depois dar descanso e promover a entrada do substituto. A avaliação de que o trio da posição está no mesmo nível técnico embasa a escolha desse rodízio.

Na último ano Weverton atuou em 37 partidas enquanto Jailson entrou em campo 36 vezes e Prass somente em sete ocasiões. Os dois últimos, aliás, renovaram contrato com o clube por mais uma temporada, em um gesto da diretoria de que mesmo na reserva, desfrutam de prestígio no Palmeiras.

Felipão trata que no elenco do clube todos são titulares. O rodízio de jogadores tem sido ressaltado nesta época de contratações inclusive para possíveis reforços. O clube alerta que os novatos não terão espaço garantido no elenco e vão precisar entender o sistema de rotação do plantel.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.