JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Palmeiras quer ficar com Leandro, mas espera mudança do atacante

Artilheiro da equipe na temporada deve ter contrato prorrogado e vai precisar esfriar a cabeça para não perder espaço

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2013 | 07h44

SÃO PAULO - Uma das boas surpresas do Palmeiras foi Leandro. Ele chegou do Grêmio sem alarde, como uma promessa do time gaúcho e, em pouco tempo, caiu nas graças da torcida palmeirense e desandou a fazer gols. Foram 16 no ano, número que o faz ser o artilheiro da equipe na temporada. Por isso, a diretoria já definiu que vai renovar seu contrato de empréstimo.

Pelo acordo feito com o Grêmio, o Palmeiras só precisa dar um aumento salarial para ter o atacante por mais um ano. A diretoria já avisou ao atleta de que ele fica e o time gaúcho deu o aval. Pelas conversas iniciais, o salário não deve ser problema. A única preocupação em relação a Leandro é a questão disciplinar. O atacante é o jogador mais indisciplinado do Palmeiras na Série B. Foram nove cartões amarelos e dois vermelhos. A análise da comissão técnica é de que o jogador se deixa levar pelas provocações e isso precisa ser controlado. 

“Conversei com o Leandro algumas vezes. Ano que vem as provocações serão ainda maiores e ele precisa aprender que será mais visado, deixou de ser uma novidade para os adversários”, disse Kleina. Este problema, inclusive, era o mesmo que ele tinha nos tempos de Grêmio. Em 2011, Leandro chegou a dar um soco no nariz do lateral-esquerdo Eron, do Atlético-MG, e o atleticano precisou deixar o estádio numa ambulância.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.