Palmeiras quer parcelar dívida com a RF

O Palmeiras resolveu aliviar a pressão que paira sobre o clube no que diz respeito às suas pendências com a Receita Federal. Nesta quarta-feira, o procurador Gustavo Caldas Guimarães de Campos afirmou que o clube fez um pedido de parcelamento da dívida referente ao não recolhimento de Imposto de Renda no período entre abril de 1994 e setembro de 1995. "Ainda será necessário avaliar os documentos encaminhados para saber se o parcelamento (Refis 2) poderá ser aprovado."Guimarães de Campos explicou que o Palmeiras não mais precisará reter as rendas dos jogos nos quais será mandante, caso o pedido seja aceito pela RF, tal como a 7ª Vara de Execuções Fiscais havia determinado no fim da última semana. Além disso, o clube também não corre risco de perder os três penhorados para quitar parte da mesma dívida que, segundo o procurador, é de R$ 5 milhões. "Os imóveis são dois próximos do Parque Antártica e outro em São Bernardo do Campo. Como estavam avaliados em um valor inferior ao da dívida, a Justiça determinou a penhora das rendas do clube."Este, no entanto, não é o único problema fiscal do Palmeiras. O presidente Mustafá Contursi responde criminalmente, na figura de dirigente do clube, pelo não pagamento da Cofins, quantia de R$ 696.012,95 no período entre fevereiro de 1999 e setembro de 2002. Guimarães de Campos afirmou que as informações sobre as diversas pendências do Palmeiras com a Receita estão sendo cruzadas.A diretoria jurídica do Palmeiras ainda não se manifestou sobre as questões judiciais e fiscais que envolvem o nome do clube e, por conseqüência do presidente Mustafá Contursi, mas, segundo levantamento dos advogados ligados ao movimento de oposição Muda Palmeiras, os problemas ainda estão longe de serem completamente resolvidos. "Segundo levantamento que fizemos, só no fórum federal o Palmeiras está envolvido em 13 ações previdenciárias e fiscais que, em março de 2002, somavam R$ 11 milhões para a Previdência Social e mais R$ 5 milhões relativos ao pagamento de impostos", revelou Euro Bento Nascimento Filho, coordenador do grupo de advogados. "E isso sem correção monetária", complementou.Em casa - Enquanto a diretoria do Palmeiras busca solução para seus problemas jurídicos e fiscais, o time se prepara para a partida em casa contra o Sport, sábado, no Palestra Itália, às 16 horas, pela Série B do Campeonato Brasileiro. O técnico Jair Picerni já fez as contas do que o time precisa para subir para a Primeira Divisão. "Acho que se ganharmos todos os jogos em casa daqui para frente vamos conseguir", avaliou.O técnico poderá contar com o volante Marcinho, que cumpriu quatro partidas de suspensão, mas não terá Magrão, suspenso e contundido, e o meia Pedrinho, também com problemas médicos. Baiano, que nesta quarta-feira não treinou para acompanhar o nascimento do filho, também sente dores e deverá ser avaliado pelos médicos nos próximos dias para definir se enfrentará ou não o Sport. Correia, Adãozinho e Elson disputam as vagas.

Agencia Estado,

27 de agosto de 2003 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.