Palmeiras quer reforçar mais setor ofensivo para 2008

Com apenas três jogadores para o ataque, Vanderlei Luxemburgo sonha com Rafael Sóbis e Diego Souza

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

07 de janeiro de 2008 | 08h48

O Palmeiras sofreu em 2007 com seu setor ofensivo. Atacantes passaram pelo clube sem sucesso e, além disso, possíveis reforços diziam não quando procurados. Neste ano, o técnico Vanderlei Luxemburgo promete colocar a casa em ordem. Alex Mineiro foi contratado para ser o camisa 9 do time. Pouco ainda, já que dois dos atletas que deixaram o clube jogavam na frente: Edmundo e Rodrigão. Além de Alex Mineiro, o Palmeiras conta com mais dois atacantes no elenco, Luiz Henrique e Osmar. Outros jogadores podem atuar mais ofensivamente, como os meias Willian e Caio. A diretoria ainda tenta a contratação de mais algum atacante, mas está difícil. O sonho é Rafael Sóbis, do Betis. O clube espanhol, porém, não abre mão do jogador. Quem está mais perto do Palestra Itália é Diego Souza, do Benfica. Nesta segunda, o Palmeiras deve fazer uma proposta de 4 milhões de euros para contar com o atleta, de 22 anos. O técnico Vanderlei Luxemburgo já avisou a cúpula do clube que gostaria de trabalhar com o ex-jogador do Grêmio (que também luta para seguir com o meia em 2008). E, com o aporte financeiro de R$ 40 milhões da Traffic, o clube paulista não quer decepcionar o treinador. Com mais Diego Souza e talvez um outro reforço, o Palmeiras estará pronto para tentar acabar com o jejum de títulos - a última conquista importante foi a Taça Libertadores de 1999. E o time que estrear no Campeonato Paulista, contra o Sertãozinho, no dia 17, não deve ser muito diferente daquele que terminou 2007. Apenas dois reforços chegaram até agora (Alex Mineiro e Elder Granja, que será apresentado nesta segunda) e, dos titulares, só dois deixaram o clube (Edmundo e Rodrigão). A mudança mais significativa estará mesmo no ataque. Alex Mineiro deve ser o titular, ao lado de Luiz Henrique, mas Osmar promete brigar pela vaga. E ele está empolgado. "Desde que cheguei ao Palmeiras lutei para ser titular. Estou trabalhando para conquistar meu espaço." Osmar tem a melhor média de gols desde que Vagner Love foi embora do Palestra, em 2004. Em 64 jogos, marcou 30 gols (média de 0,47) - já Love balançou as redes 49 vezes em 66 partidas (0,74). A média do atacante poderia estar mais alta se não tivesse lesionado o joelho no primeiro jogo do Campeonato Brasileiro, em maio. Passou por cirurgia e ficou em tratamento. "Estou bastante feliz por ter voltado. Só de não sentir nada no joelho já é uma grande vitória." Sempre de alto astral, Osmar deve mudar a sua já tradicional comemoração (a cambalhota) quando marcar algum gol. Por ordens médicas. "O doutor falou que não pode, mas na hora do gol não dá pra pensar em nada. Talvez eu só role no gramado", brinca. Antes do início do Estadual, o Palmeiras fará dois jogos-treino. Na quarta-feira enfrenta a Francana, em Atibaia, e no domingo pega o São Bento, em Barueri.

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.