Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras quer terminar ano com até cinco reforços, garante presidente

Intenção é manter a maior parte do elenco e iniciar a próxima temporada com o planejamento pronto

Matheus Lara, Estadão Conteúdo

05 de dezembro de 2017 | 11h54

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, disse nesta terça-feira que o time alviverde quer terminar o ano com até cinco reforços para 2018. A intenção do clube é manter a maior parte do elenco deste ano e iniciar a próxima temporada já com o planejamento pronto.

+ Exigências do Atlético-PR adiam acordo de Weverton com Palmeiras

"Queremos acertar tudo ainda em dezembro para o no início do ano termos o elenco pronto", disse Galiotte, em evento na Faculdade de Direito da USP, em São Paulo. "Queremos ter até mais quatro ou cinco jogadores, não mais do que isso. Serão reforços pontuais. A ideia é manter a maior parte das peças do elenco, diferente do que fizemos no ano passado."

Galiotte disse que o novo técnico do Palmeiras, Roger Machado, tem participado ativamente do processo de escolha dos reforços do time para 2018. "Ele está participando integralmente dessas escolhas, porque a maneira como vamos atuar no ano que vem vai ter as características que o Roger também gostaria. Estamos antecipando o planejamento, montando o plano de trabalho com mais possibilidades."

Além dos reforços já confirmados, como o meia Lucas Lima e o lateral-esquerdo Diogo Barbosa, nomes como o do goleiro Weverton, do Atlético-PR, e do lateral Rafinha, do Bayern de Munique, são citados como possíveis contratações para 2018. Galiotte disse que aguarda a concretização de negociações para comentar.

"Temos um elenco bastante competitivo para 2018. Vamos agregar ainda mais, com atletas como Lucas Lima. A expectativa é muito grande", disse o presidente, que reconheceu que o Palmeiras "pagou caro" neste ano por priorizar as competições de mata-mata. "A gente teve uma atenção com a Libertadores e a Copa do Brasil e, no Brasileiro, principalmente no primeiro turno, acabamos em algumas situações rendendo menos do que poderíamos. Pagamos caro por isso, é um fato."

Questionado sobre o rendimento da equipe mesmo com a chegada de numerosos reforços para 2017, Galiotte disse que o número não foi absurdo, mas que o planejamento para 2018 será diferente. O clube fez 25 contratações em 2015, e mais 14 nos anos seguintes.

"São situações distintas. O Palmeiras contratou muitos jogadores em 2015, depois de um momento complicado em 2014. Neste ano, tivemos algumas contratações num elenco de 32 jogadores. O número não é tão absurdo. Tivemos contratações com valores significativos e, para 2018, vamos trabalhar de maneira pontual com alguns nomes."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.