Palmeiras reconhece atrasos, mas promete time forte

O Palmeiras reconhece ter problemas financeiros e estar com atraso no pagamento dos salários, mas nem por isso vai deixar de se reforçar para a próxima temporada e ter um elenco fortalecido para ser comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Membro do Conselho Gestor e diretor financeiro, Francisco Busico explicou a atual situação da equipe paulista.

AE, Agência Estado

16 de dezembro de 2010 | 12h32

"O Palmeiras vive fases de altos e baixos, como qualquer clube. O Palmeiras tem um mês de atraso de direito de imagem. O pagamento é sempre no dia 25. O salário está com seis dias de atraso. Isso se deve ao descompasso nos recebíveis. Provavelmente, tudo estará em dia nos próximos dias", disse, em entrevista à TV Bandeirantes.

O Palmeiras ainda não anunciou a contratação de jogadores para o próximo ano. Apesar disso, Busico prometeu que o time será reforçado e mais forte em 2011. "Temos dificuldades, mas não vamos deixar de contratar. Também temos parceiros para ajudar", afirmou.

O dirigente confirmou também que o Palmeiras ainda paga a rescisão dos contratos dos técnicos Muricy Ramalho e Antônio Carlos Zago, demitidos nesta temporada. "Fizemos um acordo com o Muricy, ainda faltam três parcelas. E uma ou duas do Zago. São as cláusulas penais, pagar metade do que receberiam até o final do ano", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.