Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras reconhece primeiro tempo 'sofrível' e 'apático' na derrota em Curitiba

Fernando Prass lamenta desempenho ruim em última partida do ano pelo Brasileirão e pede aprendizado

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2017 | 20h46

O Palmeiras foi derrotado por 3 a 0 para o Atlético Paranaense, neste domingo, na Arena da Baixada, em Curitiba, em uma de suas piores atuações nesta temporada. O placar de três gols foi construído pelo time rubro-negro com apenas 33 minutos de jogo.

+ Palmeiras perde do Atlético-PR por 3 a 0 mas é vice-campeão

+ Veja como ficou a tabela do Campeonato Brasileiro

Irreconhecível, com falhas na marcação, sem criatividade no ataque e ouvindo gritos de "olé" da torcida adversária, o Palmeiras escapou de uma goleada histórica se não fosse outra boa atuação de Fernando Prass. O goleiro classificou como "sofrível" o primeiro tempo do time paulista.

"Foi um primeiro tempo sofrível. Já foi assim contra o Cruzeiro na nossa arena, contra o Vitória, contra o Peñarol, lá no Uruguai. A gente não aprende! Falei que esse jogo serve de lição para ano que vem. A gente tem que aprender, senão vamos ficar apanhando, apanhando e errando as mesmas coisas", desabafou Fernando Prass.

A péssima atuação dos jogadores na etapa inicial também foi chancelada pelo técnico interino Alberto Valentim, que comemorou o vice-campeonato conquistado, apesar da derrota.

"Apático é um termo que cabe bem para nosso primeiro tempo, muito devagar. Tínhamos conversado que aqui na Arena o Atlético Paranaense começa muito forte. Em 15 minutos, já estava 2 a 0 para eles. Nosso comportamento tinha que ter sido outro no começo do jogo, para depois jogarmos da forma que temos jogado. No segundo tempo procuramos jogar, só nós jogamos, mas muito porque o resultado fazia com que o Atlético pudesse esperar em seu campo defensivo. Uma pena, mas estou feliz pela classificação, pelo segundo lugar. Era um objetivo traçado pelo clube e por nós, pessoalmente", afirmou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.