Cesar Greco/Palmeiras
Cesar Greco/Palmeiras

Palmeiras reduz preço de ingressos para jogos do Campeonato Paulista

Clube passa a cobrar R$ 60 pelo bilhete mais econômico para seus duelos no Estadual; estreia no Allianz Parque é contra a Ponte

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2022 | 13h18

O Palmeiras reduziu o preço dos ingressos de suas partidas como mandante no Campeonato Paulista 2022. A presidente Leila Pereira havia prometido abaixar os valores dos bilhetes ainda quando era candidata no pleito e cumpriu a promessa, atendendo a uma antiga reivindicação da torcida, que reclamava da elitização do Allianz Parque.

O primeiro compromisso do Palmeiras na temporada em casa é contra a Ponte Preta, na próxima quarta-feira, 26, às 21h35, pela segunda rodada do Campeonato Paulista. Os ingresso mais barato para essa partida custa R$ 60, no setor Gol Norte, e o mais caro, R$ 130, na Central Oeste.

Os ingressos para a partida contra a Ponte Preta estarão à venda exclusivamente para os sócios-torcedores Avanti a partir desta sexta, 21, às 10h, por meio do site www.ingressospalmeiras.com.br

Os sócios-torcedores palmeirenses terão os descontos previstos em cada plano e exclusividade na compra dos ingressos via internet até segunda, 24, às 10h, quando tem início a venda para o público em geral. A comercialização para os sócios Avanti será dividida conforme a pontuação do rating de cada associado, classificados de zero a cinco estrelas.

No ano passado, assim que as autoridades do Estado de São Paulo aprovaram o retorno do público às arquibancadas, o Palmeiras vinha cobrando R$ 90 pelo bilhete mais barato para seus confrontos do Brasileirão no Allianz Parque. Depois, abaixou para R$ 80 após reclamações da torcida. O mais caro custava R$ 250. Em 2018, o palmeirense chegou a pagar R$ 180 pela entrada mais econômica para assistir ao time na Libertadores, o que suscitou dura críticas dos torcedores.

Até o fim de 2019, ano da última temporada com público, antes de os portões dos estádios fecharem em decorrência da pandemia de covid-19, o Palmeiras tinha o ticket médio mais caro do futebol brasileiro, em torno, à época, de R$ 57. A diretoria faturava alto com a renda proveniente da bilheteria, já que a torcida lotava o estádio. 

Mas, sobretudo em 2019, ano em que time não conquistou títulos, o torcedor passou a ir menos à arena e o clube, sem reduzir os valores dos ingressos, deixou de arrecadar uma quantia considerável e amargou buracos nas arquibancadas.

Antes e depois de eleita, Leila Pereira prometeu que iria aproximar o torcedor do Palmeiras e daria atenção para "a multidão fora do muro". Reduzir o preço dos ingressos seria, na sua visão, uma iniciativa importante nesse processo.

"Não posso oferecer ao torcedor um produto que ele não pode adquirir. Não é inteligente. Não é possível que o Allianz Parque, aquela arena maravilhosa, tenha 15 ou 20 mil pessoas sendo que cabem mais de 40 mil. Isso não entra na minha cabeça", disse a mandatária ao Estadão no dia seguinte à sua posse. 

O time alviverde estreia no torneio estadual domingo, às 16h, diante do Novorizontino, fora de casa, em Novo Horizonte. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.