Divulgação
Divulgação

Palmeiras repudia ataques racistas após vídeo do lançamento da nova camisa e mantém campanha

Campanha do clube e da Puma, fornecedora de material esportivo da equipe, contou com atores negros

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2021 | 23h07

O Palmeiras se posicionou na noite terça-feira após ataques racistas nas redes sociais relacionados ao vídeo de lançamento da nova camisa quadriculada. A campanha do clube e da Puma, fornecedora de material esportivo da equipe, contou com atores negros para apresentar o uniforme. "Repudiamos os ataques racistas relacionados ao vídeo de lançamento da nova camisa. Atuamos firmemente no sentido de coibir quaisquer manifestações discriminatórias em nossas dependências, bem como difundimos tais valores perante os torcedores e sociedade em geral", publicou o Palmeiras.

"O Palmeiras é de Todos. Este é o nosso posicionamento institucional. O clube tem 16 milhões de torcedores e não faz qualquer distinção de raça, religião, gênero ou classe social", completou a nota oficial do clube após as manifestações das redes.

Os ataques racistas no anúncio da camisa do Palmeiras foram denunciados pelo Observatório da Discriminação Racial no Futebol, perfil criado para monitorar e divulgar casos de racismo. A estreia da camisa será no primeiro jogo da final da Copa do Brasil diante do Grêmio, em Porto Alegre. Antes do confronto decisivo, o Palmeiras joga diante do Atlético-MG, no Mineirão, pelo Brasileirão, no encerramento do torneio nesta quinta-feira. 

Interessados no novo uniforme palmeirense poderão adquirir a peça por R$ 269,00. O item de tamanho infantil é um pouco mais barato e pode ser encontrado por R$ 259,00. O Palmeiras não vai tirar do ar o seu vídeo-promocional, tampouco mudar a ação de marketing do novo uniforme. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeirasracismofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.