Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Palmeiras se anima com a possibilidade de contratar Ronaldinho

Negociações entre o clube e o atacante avançam e jogador pode até ser anunciado como presente do centenário do time nesta terça

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

25 de agosto de 2014 | 16h34

A negociação entre Ronaldinho e Palmeiras, que começou bem fria, esquenta e a chance de o atacante de 34 anos se tornar reforço do time parece aumentar a cada dia. Tanto o clube quanto o jogador estão dispostos a negociar um acordo em que envolveria até algumas rendas de partidas. O Palmeiras ofereceu R$ 200 mil mensais e bônus por produtividade, além de porcentagem em patrocínios conquistados pelo clube.

O empresário e irmão de Ronaldinho, Roberto Assis, que é quem negocia em nome do atleta, gostaria que seu cliente recebesse pelo menos R$ 400 mil, além da produtividade por número de jogos realizados, metade do que o clube receber de patrocínio no período em que ele ficar no time e ainda 10% da renda dos jogos em que o astro entrar em campo.

A negociação está sendo tratada diretamente pelo presidente Paulo Nobre e pelo represente de Ronaldinho. Os dois lados mostram disposição para variar os valores e querem tentar um acordo logo. O fato é que nenhum outro clube brasileiro se mostrou interessado em contar com o jogador, mesmo ele sendo oferecido para diversas equipes, como Corinthians, Santos e Grêmio. Ronaldinho quer voltar a atuar para ficar bem fisicamente e jogar nos Estados Unidos no ano que vem, seu grande objetivo.

Por isso que Ronaldinho quer contrato só até o fim do ano, enquanto que o Palmeiras gostaria de contar com ele pelo menos até o meio do ano que vem. Nobre e Assis tentam encontrar um horário para encaixar as agendas e marcar um novo encontro. No Palmeiras, muita gente aposta que Ronaldinho pode até ser anunciado nesta terça-feira, durante a festa do centenário do clube, mas para isso acontecer, os lados teriam de entrar em um acordo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.