Montagem / Palmeiras
Montagem / Palmeiras

Palmeiras se precavê de briga jurídica pelo meia Gustavo Scarpa

Briga com o Fluminense e rescisão por meio de liminar leva clube paulista a se cercar de provas contra possíveis problemas

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

16 Janeiro 2018 | 07h00

O anúncio da contratação do meia Gustavo Scarpa, oficializado nesta segunda-feira, pode não ter encerrado o assunto para o Palmeiras. O clube tem se precavido para uma possível briga na Justiça, pois o jogador conseguiu a rescisão com o Fluminense graças a uma liminar, situação que deixa o departamento jurídico do Palmeiras atento para possíveis questionamentos.

+ Clube guarda vaga na inscrição do Paulista para o Scarpa

+ Com contrato renovado, Thiago Martins aguarda novas chances

O Palmeiras garante estar tranquilo e munido de todos os documentos caso o Fluminense alegue na Justiça ter um valor a receber pela contratação. Os advogados do clube alviverde e representantes do jogador foram bastante cuidadosos nos movimentos finais antes de selar o acordo e se cercaram de evidências para buscar mostrar que a tanto a rescisão como a posterior contratação foram procedimentos legítimos.

O jogador acionou o Fluminense na Justiça para cobrar cerca de R$ 9,3 milhões por atrasos em compromissos como direitos de imagem, salários, férias e acerto do 13º salários de 2016 e 2017. O jogador de 24 anos teve a liminar favorável concedida na última semana. Na sexta-feira o nome dele apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, novidade que deixou o caminho livre para o acerto do Palmeiras.

Apesar de não precisar pagar nada ao clube carioca, o time alviverde vai precisar fazer um grande investimento. Entre luvas e comissão repassadas para o meia, o pai dele e empresários, serão gastos cerca de R$ 23 milhões. O valor foi publicado inicialmente pela ESPN e confirmado pelo Estado.

Em texto nas redes sociais, Scarpa criticou nesta segunda-feira o Fluminense. "Fui extremamente desrespeitado em várias ocasiões nesses cinco anos de clube e nunca expus ninguém a nada, em consideração à instituição e pessoas de bem que fazem parte dela. O clube é, e sempre será, maior do que qualquer jogador! Mas isso não dá o direito de me tratarem como bem entenderem, nem de ficarem me devendo verbas que foram combinadas, como estão me devendo até hoje", escreveu.  

 

Como todos sabem, não sou um demagogo e preciso agradecer sincera e publicamente ao Fluminense pelos momentos que me proporcionou. Além de mim, somente Deus sabe a gratidão que eu realmente tenho por esse clube e pelas pessoas que conheci através dele. Infelizmente tive que ir por um caminho diferente do que eu sempre sonhei - escolha MINHA e não de terceiros. Certamente vários adjetivos ruins serão usados contra mim, mas conheço a verdade e meus direitos. Sabendo que essa é uma via de mão dupla, corro atrás de cada um desses direitos porque nunca deixei de cumprir com os meus deveres. Pelo contrário; fui além deles para contribuir com o time e meus companheiros. Fui extremamente desrespeitado em várias ocasiões nesses 5 anos de clube e NUNCA expus ninguém a nada, em consideração à instituição e pessoas de bem que fazem parte dela. O clube é, e sempre será, maior do que QUALQUER jogador! Mas isso não dá o direito de me tratarem como bem entenderem, nem de ficarem me devendo verbas que foram combinadas, como estão me devendo até hoje. Muitos dos meus sonhos foram realizados e serei eternamente grato por cada um deles. Saio desse clube de cabeça erguida, com a certeza de que sempre fiz o meu melhor!!!! Agradeço a todos os jogadores, fisioterapeutas, fisiologistas, comissão técnica, nutricionista, roupeiros, massagistas, pessoal de apoio, profissionais de Xerém e a maioria da torcida, principalmente pelo respeito que sempre tiveram comigo nesses cinco anos!! Fica aqui a minha gratidão a todos que a merecem. Deus te abençoe @fluminensefc

Uma publicação compartilhada por Gustavo Scarpa (@gustavoscarpa10) em

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.