Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Palmeiras se reúne com a Globo, mas continua sem acordo por direitos de TV

Equipe é por enquanto a única participante do Campeonato Brasileiro sem contrato de transmissão

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

29 de março de 2019 | 17h14

O Palmeiras e a TV Globo tiveram nesta sexta-feira uma nova reunião para tratar dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro para a televisão aberta. Apesar da conversa, as duas partes ainda não entraram em um acordo e o clube continua como um único participante da Série A não ter assinado ainda contrato para ter os jogos transmitidos. A informação foi publicada pela ESPN e confirmada pelo Estado.

O encontro foi entre diretores da emissora dona dos direitos de transmissão do Brasileiro e o presidente do clube, Mauricio Galiotte. A negociação se refere à transmissão das partidas no ciclo de 2019 a 2024. A Globo conseguiu nesta semana acertar com o Athletico, equipe que anteriormente também estava sem contrato para a exibição das partidas na televisão aberta.

Como para ter os jogos transmitidos no Brasileiro é necessário os dois times estarem de acordo sobre os direitos televisivos, a falta de acordo do Palmeiras mantém uma lacuna na grade dos canais. Para a TV fechada o clube fechou acordo com a Turner, assim como fizeram Athletico, Bahia, Ceará, Fortaleza, Inter e Santos. Porém, caso a situação de impasse persista, a equipe só teria 12 dos 38 jogos transmitidos.

O Palmeiras discorda dos valores apresentados pela Globo, principalmente pelo redutor oferecido no contrato para os clubes que fecharam com a Turner para a TV fechada. A diretoria alviverde exige receber um montante semelhante a Flamengo e Corinthians. Para a TV aberta, a emissora tem oferecido um total R$ 600 milhões para as equipes. Essa cifra é dividida com 40% da fatia repartida igualmente, outros 30% de acordo com os jogos exibidos e mais 30% pela performance.

No fim do ano passado o Palmeiras aprovou a previsão orçamentária para 2019 já sem considerar a entrada de possíveis receitas da televisão. O clube fez a estimativa de uma receita de R$ 561 milhões, com base em fontes como bilheteria, venda de jogadores e patrocínio master.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.