Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Palmeiras sofre com trocas na zaga e ausência de Gabriel

Time de Marcelo Oliveira tem sofrido muitos gols nos últimos jogos

GONÇALO JUNIOR, O Estado de S. Paulo

07 de setembro de 2015 | 14h16

As constantes mudanças que o técnico Marcelo Oliveira está fazendo para encontrar a zaga ideal e a contusão do volante Gabriel, principal protetor da defesa, são alguns dos fatores que explicam a quantidade de gols que o Palmeiras vem sofrendo nos últimos jogos. No clássico com o Corinthians, no último domingo, a equipe esteve três vezes à frente no placar, mas cedeu a igualdade por 3 a 3.

No duelo com o Corinthians, o treinador apostou em Leandro Almeida e Vitor Hugo pensando em neutralizar principalmente a jogada aérea do Corinthians, mas não conseguiu. "Levamos dois gols de bola parada. É preciso ter atenção e precisamos melhorar a marcação", disse o técnico logo após o empate no Allianz Parque. Nas duas partidas anteriores, contra o Goiás e Joinville, a zaga foi formada por Victor Hugo e Vitor Ramos.

Desde o começo de agosto, quando o volante Gabriel sofreu uma ruptura nos ligamentos do joelho esquerdo, o Palmeiras tenta encontra substitutos, mas reconhece que a defesa ainda está em formação. Gabriel era o principal marcador do meio-de-campo da equipe e um dos principais jogadores do Campeonato Brasileiro no quesito desarmes.

Para a sua vaga, o treinador testou Andrei Girotto contra o Atlético-PR. Nos últimos dois jogos, apostou em Amaral. Nos dois casos, não conseguiu proteger a zaga como gostaria.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasMarcelo Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.