Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Palmeiras sofre, mas vence o Bragantino por 3 a 2

Time chega a abrir dois gols de vantagem, toma o empate e garante a vitória a dez minutos do final

Tercio David, estadao.com.br

07 de fevereiro de 2010 | 18h51

Foi sofrido e suado, tanto pelo calor quanto pelo empenho e aplicação do adversário. Depois de liderar o placar com dois gols de vantagem, o Palmeiras sofreu o empate, mas acabou vencendo o Bragantino por 3 a 2, no Estádio Nabi Abi Chedi, em Bragança Paulista, neste domingo, pela sétima rodada do Paulistão.

Veja também:

PAULISTÃO 09 - tabela Classificação | lista Calendário

link Lincoln confirma acerto com o Palmeiras

linkApós vitória, Muricy diz que falta muito ao Palmeiras

Com o resultado, o Palmeiras chegou a 12 pontos e manteve a diferença de dois pontos para o líder Santos. Já o Bragantino, segue com oito pontos, no meio da tabela.

Na quarta-feira, às 21h50, o Palmeiras faz sua estreia na Copa do Brasil, diante do Flamengo-PI, no Estádio Alberto Silva, em Teresina.

Na próxima rodada do Paulistão, o Palmeiras encara o Botafogo, em Ribeirão Preto, no sábado de Carnaval. No mesmo dia, o Bragantino encara o Paulista, em Jundiaí.

GOLS E DISCUSSÃO

Apesar de o Palmeiras não passar por uma grande fase, dois jogadores se destacam e quase sempre resolvem a parada. Desta fez não foi diferente, com Diego Souza fazendo grande passe para Cleiton Xavier tocar por cima do goleiro Gilvan, logo aos 7 minutos de jogo.

O começo com gol deu a impressão de que o Palmeiras teria vida fácil, mas não foi bem assim e o Bragantino resolveu dar sufoco no time de Muricy Ramalho.

Além de mandar uma bola na trave, desviada contra o patrimônio pelo zagueiro Danilo, o time do Bragantino ainda teve dois gols anulados. O primeiro foi após uma cobrança de escanteio, que Maurício desviou depois que a bola passou por boa parte da defesa palmeirense, inclusive o goleiro Marcos. Cléber Wellington Abade preferiu marcar falta de Marcelo Godri, na disputa do lance na primeira trave.

No segundo, o árbitro anulou o gol de Frontini, alegando impedimento de Da Silva, que no levantamento na área ajeitou para o camisa 9 bater para as redes.

"Tivemos dois gols anulados, um legal e outro não, em um pênalti não marcado a nosso favor. Assim fica difícil", reclamou o atacante Frontini, ainda no intervalo, também sobre uma bola que teria batido na mão de Danilo, em lance de ataque do Bragantino.

 BRAGANTINO 2
Gilvan; Luiz Antônio, Da Silva     , Mauricio e Diego Macedo; Marcelo Godri, Paulinho (Ulisses     ), Lúcio      e Esquerdinha; Frontini (Juninho Quixada) e Rodriguinho (Danilo Gomes)
Técnico: Marcelo Veiga
 PALMEIRAS 3
Marcos; Figueroa     , Edinho     , Danilo e Wendel     ; Pierre, Márcio Araújo, Deyvid Sacconi (William), Cleiton Xavier e Diego Souza; Robert (Lenny)
Técnico: Muricy Ramalho
Gols: Cleiton Xavier, aos 7 minutos do primeiro tempo. Robert, aos 6, Diego Macedo, aos 13, Juninho Quixada, aos 34, e Lenny, aos 37 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Cleber Wellington Abade

Renda e público: não disponíveis

Estádio: Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)

Assim como aconteceu no primeiro tempo, no segundo o Palmeiras soube marcar o gol nos primeiros minutos, na primeira chance criada. Aos 6, Wendel cruzou da esquerda, o goleiro Gilvan voou para agarrar a bola, mas acabou soltando nos pés de Robert, que  não perdoou a falha e ampliou.

Mais uma vez, o Bragantino mostrou que não se intimidaria com facilidade e seguiu pressionando o Palmeiras. Mas agora a pressão rendeu frutos e o primeiro gol não demorou em sair. Aos 13, Diego Macedo bateu falta muito bem, jogando no contrapé do goleiro Marcos que, atrapalhado pelo sol e pela barreira, sequer se mexeu no lance.

Com o passar do tempo, o forte calor pareceu ter afetado mais o Palmeiras, e assim o Bragantino chegou ao empate. Aos 34, após bobeada da zaga na saída de jogo, Juninho Quixada roubou a bola, invadiu a área e bateu. Marcos fez a defesa, mas no rebote o mesmo Juninho Quixada chutou novamente para marcar.

Apesar do desgaste físico, o Palmeiras tinha a categoria de Cleiton Xavier e o oportunismo de Lenny, que havia entrado pouco antes. Levantamento do primeiro da direita e desvio preciso do segundo, de pé direito, no canto de Gilvan, para garantir a vitória do time de Muricy Ramalho, a primeira em três jogos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.