Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras supera desavença com FPF sobre o 'Paulistinha' e vai com força máxima

Alviverde chegou a declarar boicote à federação e ameaçou disputar torneio sem os principais jogadores

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2019 | 04h30
Atualizado 22 de janeiro de 2019 | 14h58

O Palmeiras quer deixar no passado a polêmica sobre o Campeonato Paulista do ano passado. Apesar da briga nos bastidores com a Federação Paulista de Futebol (FPF) e da longa batalha jurídica para tentar anular a derrota para o Corinthians na decisão, a atual comissão técnica garante que não será afetada por essa situação e vai começar a competição estadual disposta a ganhar o título.

Em abril do ano passado, as reclamações do Palmeiras sobre uma interferência externa na final geraram a contundente declaração do presidente do clube, Mauricio Galiotte, de que o torneio se tratava de um "Paulistinha". Nos meses seguintes, a equipe declarou boicote à FPF e prometeu tratar a competição de forma estratégica, longe de ser prioritária.

A situação, no entanto, mudou. De cabeça fria e no posto de atual campeão brasileiro, o Palmeiras trouxe uma nova comissão técnica, com Luiz Felipe Scolari como substituto de Roger Machado. Felipão apresentou no início de 2019 um novo entendimento sobre o Paulistão ao considerar necessário se dedicar ao torneio e usá-lo como uma preparação séria para o restante da temporada.

A lógica do raciocínio de Felipão se apoia em um momento importante e decisivo de preparação do Palmeiras para a temporada. Carregado de expectativas pelo título brasileiro e pelos reforços renomados, o clube sonha com a conquista da Copa Libertadores em 2019. Mas para isso entende ser necessário fazer uma boa campanha no Estadual e ajustar o elenco.

A diretoria trouxe seis reforços: Ricardo Goulart, Zé Rafael, Arthur Cabral, Matheus Fernandes, Carlos Eduardo e Felipe Pires. O grupo, mais os remanescentes do ano passado, terá como papel neste início do ano disputar posição de titular e mostrar em campo um rendimento à altura das expectativas. Felipão sabe da responsabilidade. O técnico pretende, inclusive, ter já no Paulistão times divididos em A ou B, medida tomada no ano passado e que deu muito resultado.

O desafio palmeirense vale ainda para encerrar o jejum. Desde 2008 o clube não ganha o Paulistão. A competição é também inédita no currículo do Felipão. O Estadual é uma oportunidade para o time encarar a grande rivalidade com o Corinthians, algoz na final do ano passado, bicampeão estadual e responsável por impor as mais duras derrotas recentes.

Se no ano passado o Estadual foi tratado no diminutivo, neste ano, com o Palmeiras cheio de expectativas de ambições, certamente o torneio tem uma importância estratégica imensa para o badalado elenco conseguir se preparar à altura dos sonhos elevados que projetou.

TIME-BASE

Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Felipe Pires (Carlos Eduardo), Dudu e Deyverson. Técnico: Felipão.

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.