Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Palmeiras supera o 'apagão' em Barueri e avança na Sul-Americana

Equipe conta com o retorno do chileno Valdívia para fazer 3 a 1 no Universitario de Sucre; próximo rival será o Atlético-MG

ANDRÉ RIGUE, estadão.com.br

21 de outubro de 2010 | 00h30

O maior contratempo encontrado pelo Palmeiras foi a queda de luz no retorno para o segundo tempo na Arena Barueri. Sem muitas dificuldades, o alviverde bateu o Universitario de Sucre pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, por 3 a 1. Além de garantir a classificação, o time contou com o retorno do chileno Valdívia, que mostrou estar pronto para enfrentar o Corinthians no clássico do próximo domingo.

 

Na Sul-Americana, o Palmeiras terá pela frente nas quartas de final o Atlético Mineiro. O time de Minas Gerais perdeu por 1 a 0 para o Independiente Santa Fé, na Colômbia, mas avançou por ter vencido o primeiro confronto por 2 a 0. O técnico Felipão tem como principal meta ganhar o torneio continental para garantir uma vaga na Copa Libertadores, em 2011.

 

Nesta quarta, Felipão surpreendeu ao escalar Valdívia. O meia tinha uma lesão na coxa e seu tempo de recuperação estava estipulado em 15 dias. Contudo, o jogador não sentiu mais dores e foi liberado pelos médicos. Se o chileno pegará o Corinthians no domingo, os laterais Marcio Araújo e Gabriel Silva não poderão jogar por estarem suspensos no Brasileirão.

 

O Palmeiras controlou a partida em todos os instantes contra o Universitario. Mas foi só através da bola aérea que o time abriu o marcador. Aos 11 minutos do primeiro tempo, Gabriel Silva acertou belo cruzamento pela esquerda. O atacante Kléber subiu com liberdade entre os bolivianos e testou para o fundo das redes de Lampe.

 

O time boliviano foi uma verdadeira baba na marcação da bola aérea. Foi o rival dos sonhos de Felipão, que gosta que seus times ataquem através de cruzamentos. O Palmeiras chegou ao segundo gol ainda no primeiro tempo. Aos 27 minutos, Valdívia passou para Gabriel Silva, que novamente cruzou pela esquerda. Desta vez, Luan foi quem desviou de cabeça para as redes.

Serve luz de velas? O jogo estava tranquilo para o Palmeiras, até o primeiro minuto do segundo tempo. Parte da iluminação da Arena Barueri desligou. Os torcedores, no entanto, foram à loucura quando todas as luzes se apagaram. Os palmeirenses ligaram seus celulares e ficaram dançando nas arquibancadas.

 

Ao todo, o apagão durou cerca de 30 minutos. No retorno da partida, o Palmeiras voltou um pouco desligado e permitiu que o frágil Universitario marcasse em Barueri. Aos 16 minutos da etapa final, a zaga alviverde dormiu, Cirillo desviou de cabeça após cobrança de falta e não deu chances para o goleiro Deola.

 

Após sofrer o gol, Felipão deu uma bronca e os jogadores voltaram a "ligar". O Palmeiras marcou o terceiro aos 24 minutos. Em cobrança de falta pela esquerda, Marcos Assunção levantou na área. O zagueiro Danilo apareceu bem e testou para o fundo das redes - foi o primeiro gol do jogador na Sul-Americana.

 

Felipão decidiu poupar alguns jogadores. Kléber saiu aos 30 minutos, após receber amarelo - Dinei entrou. O Palmeiras criou mais algumas chances para marcar, mas a bola não entrou. Este foi o nono jogo seguido do clube sem derrota. Um sinal de que Felipão encontrou a formação ideal para o final da temporada.

 

  PALMEIRAS 3 X 1 UNIVERSITARIO DE SUCRE

Palmeiras - Deola; Marcio Araújo, Fabrício, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção (Pierre), Tinga (Patrick) e Valdívia; Luan e Kleber  (Dinei). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Universitario - Lampe ; Segovia , Aguirre , Albarracín e Bejarano; Lima, Liendo, Gallegos (Paz) e Junco (Melgar ); Fernandéz (Cirillo) e Galindo. Técnico: Javier Vega.

Gols - Kléber, aos 11, e Luan, aos 27 minutos do primeiro tempo; Cirillo, aos 16, e Danilo, aos 24 minutos do segundo tempo - Árbitro - Antonio Arias (PAR); Público e Renda - Não disponível; Local - Arena Barueri, em Barueri (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.