Palmeiras tem bom desempenho contra o Figueirense em Florianópolis

Alviverde registra 61,9% de aproveitamento contra rival no Orlando Scarpelli

Pedro Proença, O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2012 | 07h59

SÃO PAULO - Em penúltimo lugar na tabela, com menos pontos do que jogos (20 em 25) e com 92% de chances de rebaixamento, segundo os matemáticos de plantão, o técnico Gilson Kleina, que faz sua estreia neste sábado no Palmeiras, tem a seu favor o retrospecto do time no Orlando Scarpelli, contra o Figueirense, em Florianópolis. Como os catarinenses têm dois pontos a mais (22) e são concorrentes diretos na briga para fugir do descenso no Brasileirão, o confronto é visto como um jogo de seis pontos.

Se mantiver a escrita, Kleina vai começar com o pé direito, tudo que o Palmeiras precisa nesse momento. Em sete jogos, a equipe conseguiu quatro vitórias e um empate. São 13 pontos em 21 disputados, configurando um aproveitamento de 61,9%. A primeira vitória foi em 2004, no returno do certame, por 1 a 0, com gol do atacante Thiago Gentil. Esse duelo ficou marcado por consolidar uma sequência de seis vitórias, que levou o Palmeiras a uma vaga na Libertadores daquele ano.

Na edição seguinte, o time goleou o Figueirense, de virada, por 4 a 1. O jogo marcou a estreia do treinador Emerson Leão, em sua segunda passagem pelo Palmeiras.

Em 2007, quem estava no comando era Caio Júnior, que triunfou por 2 a 1, com gols de Valdivia e Max (seu único gol pelo Palmeiras). O grande destaque daquela partida foi o goleiro Diego Cavalieri, que fez pelo menos quatro grandes defesas. Em 2011, em partida truncada, os comandados de Felipão venceram o Figueira pela contagem mínima, 1 a 0, com gol do zagueiro Maurício Ramos, num rebote de uma falta cobrada por Marcos Assunção.

As duas únicas derrotas que o Palmeiras sofreu em Santa Catarina causam frio na espinha do torcedor. A primeira foi em 2002, ano do rebaixamento: 1 a 0. A segunda foi a maior goleada da história do confronto: 6 a 1, pela segunda rodada da edição de 2006 do Nacional. O vexame custou a cabeça do treinador Emerson Leão. O único empate foi o monótono 0 a 0 de 2008. É curioso do histórico desse confronto válido pelo Brasileirão é que o Palmeiras venceu mais vezes em Santa Catarina do que em São Paulo, onde obteve três resultados positivos, cinco empates e uma derrota (em 2011). Os números totais do confronto entre Palmeiras e Figueirense no Brasileirão são 16 partidas: sete vitórias paulistas, seis empates e três derrotas.

Todos os jogos no Orlando Scarpelli:

Figueirense 1 x 0 Palmeiras – 2002

Figueirense 0 x1 Palmeiras – 2004

Figueirense1 x 4 Palmeiras – 2005

Figueirense 6 x 1 Palmeiras – 2006

Figueirense 1 x 2 Palmeiras – 2007

Figueirense 0 x 0 Palmeiras – 2008

Figueirense 0 x 1 Palmeiras – 2011 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.