Palmeiras tem dois fantasmas em sua vida

O Palmeiras enfrenta nesta quinta-feira dois fantasmas recentes de sua vida. O primeiro é o Vitória, que lhe aplicou uma goleada vexaminosa, por 7 a 2 no ano passado, pela Copa do Brasil. E o segundo é a possibilidade de rebaixamento. O jogo começa às 20h30 no Parque Antárctica e vale pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. É lógico que foram disputadas apenas duas das 46 rodadas do Brasileiro, mas o Palmeiras tem apenas um ponto ganho e uma tabela complicada pela frente. Depois do Vitória, tem o clássico contra o Corinthians, a Ponte Preta em casa, Cruzeiro e Santos, fora. Quanto antes for iniciada a reação, mais tranqüilidade terá o torcedor. Uma tranqüilidade que parece longe, após o empate em casa com o Atlético Mineiro e a derrota por 1 a 0 para o Inter, em Porto Alegre. Sim, o time que tem Wagner Love - 18 gols em 20 jogos na temporada - ainda não marcou no Brasileiro. A esperança é que ele desencante amanhã. Em 2004, ele não ficou três vezes sem marcar. Nesta quinta, ele voltará a ter Muñoz como companheiro de ataque. O colombiano volta ao time depois de recuperar-se de uma pancada no joelho direito. Com Munõz, Picerni volta a jogar com dois atacantes, pois no jogo contra o Inter, escalou Diego Souza, colocando Pedrinho um pouco à frente. Não deu certo. Além de Munõz e da mudança de esquema, o time terá outras duas novidades. O goleiro Sérgio, eterno reserva, volta a ter uma chance com a ausência de Marcos, que estava com a Seleção Brasileira, hoje em Budapeste, contra a Hungria. E Alceu jogará como titular. É a primeira vez, desde setembro do ano passado, quando torceu o joelho em uma partida contra o Gama. Ele jogará ao lado de Corrêa e Marcinho, o substituto de Magrão, que sentiu dores musculares na coxa direita. A armação das jogadas ficará por conta de Pedrinho, que exige rapidez na reação do time. "Em duas rodadas já estamos na zona de rebaixamento.Tem gente falando que é cedo para pensar em coisa ruim, mas eu fico muito incomodado. Temos de vencer para sair logo dessa situação ruim e começar a pensar em título. Se o time fica muito atrás, dá um desânimo e não se luta pelo campeonato". Outro motivo para se vencer é o próximo adversário do Palmeiras. "Nós vamos pegar o Corinthians e é muito importante chegar com um astral bom, e isso só vai acontecer se a gente vencer o Vitória. Se perder, já vai ser um início de crise e isso nunca é bom." Pedrinho acredita que o Vitória será um adversário muito difícil e que não ficará atrás, apenas se defendendo. "Eles têm o Edílson, que é um jogador de alto nível, um atacante que fez história aqui no Palmeiras e também o Obina, que eu não não vi jogar, mas que está fazendo muitos gols." Ele acredita que Wagner Love terá uma marcação dura, mas que, apesar de todas as dificuldades, será possível o Palmeiras conseguir os três pontos. "Nós temos condição de vencer e depois passarmos também pelo Corinthians, no final de semana. Estamos devendo uma grande partida e está na hora de pagar essa dívida com a torcida."

Agencia Estado,

28 de abril de 2004 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.