Palmeiras teme jogo contra o Sport

A situação confortável do Palmeiras na Série B do Campeonato Brasileiro motivou o técnico Jair Picerni a fazer experiências na equipe, já pensando na segunda fase. Por isso, para enfrentar o Sport neste sábado, às 16 horas, no Palestra Itália, ele surpreendeu ao confirmar o meia Elson no lugar de Magrão, que recebeu o terceiro cartão amarelo contra o União São João. Correia, que treinou a semana inteira como titular, fica no banco. Elson irá compor com Diego Souza uma linha de dois meias ofensivos, formação tática pouco utilizada ao longo da competição. Picerni explicou que deseja ver o time chutando mais de fora da área. ?O Elson tem essa característica. Por isso optei por ele. Necessitamos de uma equipe ofensiva, já que o Sport tem no toque de bola o seu ponto forte. Além disso, tem uma camisa forte e pode nos enfrentar de igual para igual no Parque Antártica. Duvido que seus jogadores passarão os 90 minutos dando chutões para a lateral. Precisando do resultado para se classificar, certamente virão para cima?, disse o treinador do Palmeiras.Durante a semana, o treinador chegou a comparar a força da equipe pernambucana com a do Botafogo, que é vice-líder da Série B e está um ponto atrás do Palmeiras. ?É um time de tradição, que já disputou finais e ganhou o Brasileiro em 1987. Mas acredito que nossa vitória de 5 a 1 sobre o União, sábado passado, tranqüilizou ainda mais nossa equipe. A cabeça do grupo está pronta para disputar o título?, afirmou Picerni.Embora negue que o jogo deste sábado seja uma prévia do que poderá acontecer nas próximas fases da Série B, Picerni acredita que a equipe poderá mostrar o seu real potencial. ?Nem penso em goleada. O Sport será uma grande encrenca. Mas hoje temos um conjunto, um time equilibrado. A maior preocupação, a partir de agora, será redobrar a atenção, principalmente nas partidas em casa. O momento exige um trabalho diferenciado.?O zagueiro Leonardo, que volta ao time beneficiado pela suspensão de Gláuber, quer usar a partida para mostrar ao técnico que tem condições de ser titular do Palmeiras. ?Já passei por momentos ruins aqui dentro, corri o risco de ser mandado embora, mas agora quero conquistar o meu espaço. Respeitei a decisão do treinador, não reclamei quando deixei o time, mas na Série B todos os jogos são encarados como decisões. Amanhã não será diferente. Vou mostrar minha qualidade em campo?, avisou.Leonardo só lamenta não ter ganho ainda nenhum título desde que chegou ao Parque Antártica, no início de 2001. ?Sinto que minha responsabilidade é grande por isso. Fui prestigiado mesmo após o rebaixamento no ano passado e tenho obrigação de dar uma resposta à torcida?, revelou o zagueiro.Confirmado como titular ao lado de Vágner Love, Edmílson diz estar mais confiante para entrar em campo. ?Fazer parte dos planos do treinador me dá mais tranqüilidade. No que depender de mim, não perderei mais a posição de titular.?O jogador acha que a amizade que mantém com Vágner fora de campo pode fazer a diferença. ?Quando jogávamos juntos nos juniores, sonhávamos com este momento. Tomara que possa ajudá-lo a chegar cada vez mais perto da artilharia da Série B?, contou Edmílson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.