Mxim Shemetov/Reuters
Mxim Shemetov/Reuters

Palmeiras negocia a contratação do atacante Luiz Adriano, do Spartak Moscou

Revelado pelo Inter, jogador de 32 anos pode ser o próximo reforço do time do técnico Luiz Felipe Scolari

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 de julho de 2019 | 13h23

O Palmeiras negocia a chegada do atacante Luiz Adriano. Revelado pelo Inter, o jogador de 32 anos defende atualmente o Spartak Moscou, da Rússia, e tem contrato até o meio do ano que vem. A diretoria alviverde busca o reforço para completar as opções ofensivas e corre contra o tempo para conseguir fechar antes da próxima quarta-feira, quando a janela de transferências internacionais vai se fechar.

Segundo a informação publicada pelo jornalista Gian Oddi, da ESPN, e confirmada pelo Estado, o Palmeiras conversou nas últimas horas com representantes do jogador em busca de um acerto e considera a situação encaminhada. Luiz Adriano está no futebol russo desde 2017 e antes disso, passou pelo Milan, da Itália, e pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, além de ter defendido a seleção brasileira.

Luiz Adriano deixou o futebol brasileiro em 2007, meses antes de completar 20 anos. Apesar da busca pelo jogador, o clube fechou recentemente a vinda de outro atacante. Henrique Dourado foi oferecido pelo Henan Jianye, da China, e assinou contrato por empréstimo até o fim do ano. O clube asiático é quem vai pagar os salários. O atleta não atua desde março, quando fraturou a perna.  

Ao mesmo tempo que negocia a vinda de Luiz Adriano, a equipe pode negociar o colombiano Miguel Borja. A diretoria pretende vendê-lo ainda nesta janela de transferências, para não ter de pagar em agosto mais R$ 11 milhões ao Atlético Nacional, da Colômbia, para adquirir os 30% dos direitos econômicos restantes. A operação havia sido combinada em fevereiro de 2017, durante a vinda do colombiano.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasLuiz AdrianoSpartak

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.