Palmeiras tenta evitar novo desmanche

Paciência. Esse é o sentimento que o torcedor do Palmeiras vai ter de demonstrar nos próximos meses. A prioridade da diretoria não é contratar. Por enquanto, os maiores esforços estão sendo feitos para evitar novo desmanche - desta vez no grupo que chegou às semifinais da Taça Libertadores da América, quando caiu, no Palestra Itália, diante do Boca Juniors. Mas a manutenção dos jogadores também enfrenta empecilhos. O maior deles continua sendo a indefinição do contrato de patrocínio com a Pirelli. Apontado como certo poucos dias atrás, já há quem duvide, no Parque Antártica, que o acordo se torne oficial. A permanência de atletas como Felipe e Alex, considerados caros pelos dirigentes, só se tornará possível se o clube contar com a verba da multinacional italiana de pneus. Quem deve mesmo deixar a equipe é Claudecir. O volante chegou no início do ano, depois de ser um dos destaques do São Caetano na campanha do vice-campeonato da Copa João Havelange. Mas não conseguiu adaptar-se ao clube. O baixo rendimento nos treinos lhe custou lugar até mesmo no banco de reservas. O destino mais provável, no momento, é o Santos.

Agencia Estado,

25 de junho de 2001 | 18h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.