Palmeiras tenta inscrever Cristaldo antes do clássico

Atacante tem tudo para enfrentar o São Paulo: ele treina com os companheiros e aguarda pela documentação ser entregue na CBF

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 11h13

O Palmeiras corre para conseguir disponibilizar um reforço para o técnico Ricardo Gareca visando o clássico com o São Paulo, domingo, no Pacaembu, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apresentado nesta terça-feira, o atacante Jonatan Cristaldo pode ser regularizado até sexta e, assim, ficar à disposição do treinador para a partida.

O prazo para contratação de jogadores que chegam do exterior se encerra nesta quarta-feira e o Palmeiras já acertou e registrou o contrato do argentino de 25 anos, que chega por indicação do próprio Gareca. O que falta é regularizá-lo na CBF e seu nome aparecer no BID, algo que pode ocorrer depois desta quarta. 

A confiança no clube em conseguir ter o atacante em campo no domingo é muito grande, tanto que ele vem treinador normalmente com os novos companheiros. Fisicamente, o argentino está bem, por isso, a tendência é que ele seja titular no lugar de Henrique, bastante criticado pela má atuação nos últimos jogos, apesar do gol contra o Atlético-MG. 

O clube pagou R$ 8 milhões por 80% dos direitos econômicos do jogador, que estava no Metalist, da Ucrânia. Ele trabalhou com Gareca no Vélez Sarsfield. O meia Allione, de 19 anos, acredita que o Palmeiras pode ganhar muito com a chegada do novo companheiro. "Não cheguei a jogar junto com ele, mas o vi jogando. O Cristaldo é um grande jogador, muito técnico e sempre vai em busca do gol. E difícil marcá-lo e será muito útil para nós." 

A diretoria palmeirense não vai contratar mais nenhum jogador do exterior, entretanto, ainda pode acertar com alguns que atuam no futebol brasileiro ou que estão sem clube. O período para inscrição destes atletas vai até o começo de outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPalmeirasCristaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.