Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras tenta manter retrospecto positivo da defesa para ir à final

Time está há cinco jogos sem ser vazado, muito em função das atuações de Jaílson

O Estado de S.Paulo

26 de março de 2018 | 07h00

Na teoria, a receita para o Palmeiras ir à final do Campeonato Paulista é simples: manter o retrospecto defensivo recente e passar pelo Santos, nesta terça-feira, no Pacaembu, sem sofrer um gol. Como ganhou o primeiro jogo por 1 a 0, no último sábado, basta um empate aos comandados do técnico Roger Machado. 

+ Fora de arena em semifinal, Palmeiras lamenta show em estádio na data

+ Marcos Rocha e Victor Luis viram dúvidas no Palmeiras para 2º jogo da semifinal

Ilesa há cinco partidas, a equipe começa a mirar marcas históricas do clube. Para se ter uma ideia do que a série atual representa, basta dizer que o feito é inédito nesta década. Na última vez em que o Palmeiras havia ficado cinco confrontos sem buscar a bola no fundo das redes, Vanderlei Luxemburgo ainda comandava o time, em 2008, quando o conduziu a seis duelos sem ser vazado. A quem gosta de coincidências, foi justamente naquele ano que o clube se sagrou campeão estadual pela última vez.

De lá para cá, o Palmeiras só havia conseguido manter sua meta intacta em sequências de quatro partidas, em cinco oportunidades.

Os jogos da série atual se referem às vitórias sobre São Paulo (2 a 0), Ituano (3 a 0), Novorizontino (duas vezes, por 3 a 0 e por 5 a 0) e Santos (1 a 0). A respeito do último triunfo, por sinal, diante dos santistas, vale destacar o desempenho do goleiro Jailson, responsável por ao menos quatro defesas complicadas que impediram o rival de igualar o placar. 

Apesar da vantagem no confronto, o goleiro palmeirense fez questão de relativizá-la e pregou respeito ao oponente: "Respeitamos a equipe do Santos, sabemos que ainda tem 90 minutos. Não ganhamos nada", declarou o goleiro, que só pôde atuar graças a um efeito suspensivo obtido pelo clube na sexta-feira. O jogador havia pego três jogos de gancho (sendo dois já cumpridos) pelos incidentes ocorridos em clássico contra o Corinthians, em fevereiro - foi expulso por falta cometida em Renê Júnior e disparou críticas contra a arbitragem após a partida.

PREOCUPAÇÃO

O Palmeiras volta a treinar nesta segunda de manhã, quando Roger Machado começará a esboçar a equipe que encara os santistas novamente no Pacaembu, às 20h30 de terça.

As dúvidas estão nas duas laterais. Na direita, Marcos Rocha passará por tratamento intensivo devido a uma sobrecarga muscular. Ele pediu para ser substituído aos cinco minutos do segundo tempo no jogo de sábado. Na esquerda, Victor Luis também virou dúvida após tomar um pisão no tornozelo direito. Se não puder jogar, é provável que abra espaço para a estreia de Diogo Barbosa. O lateral-esquerdo se machucou na pré-temporada e vem ficando no banco de reservas.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasfutebolCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.