Ag. Palmeiras/Divulgação
Ag. Palmeiras/Divulgação

Palmeiras terá time de calouros em La Bombonera para jogo com o Boca

Provável formação titular para partida pela Libertadores virá com jogadores que jamais atuaram no estádio argentino

O Estado de S. Paulo

25 de abril de 2018 | 07h00

O Palmeiras vai enfrentar o Boca Juniors, nesta quarta-feira, com um time de calouros quando se trata de La Bombonera. O mítico estádio do time argentino, palco do jogo pela Copa Libertadores, será novidade para todo o time titular da equipe alviverde. Dos possíveis titulares, nenhum esteve no local antes para enfrentar a equipe argentina.

+ Tabela da Copa Libertadores 2018

+ Palmeiras promete nova ação para anular final

O experiente zagueiro Edu Dracena, de 36 anos, comentou nesta terça-feira sobre a expectativa para estrear no local. "Primeira vez na minha carreira. Todo mundo fala que é especial jogar na Bombonera. Vou ter essa oportunidade de jogar aqui. Viver esse momento, na minha carreira e para o Palmeiras. Espero que a gente possa fazer de tudo para o time jogar bem", disse.

Mesmo campeão da Libertadores pelo Santos, o defensor não chegou a enfrentar o Boca no estádio em outras ocasiões. Quem quase teve chance foi o atacante Willian. Em 2012, quando defendia o Corinthians, o jogador foi cortado da lista de relacionados para o primeiro jogo da final. Quem entrou na vaga dele na ocasião foi Romarinho, autor do gol no empate em 1 a 1.

Já o colombiano Miguel Borja teve a chance de enfrentar o Boca em setembro de 2014. O atacante defendia o Olimpo, mandante da partida disputada na cidade de Bahía Blanca, e foi expulso na partida por ter dado uma cabeçada em um adversário. O jogo foi vencido pelo Boca Juniors por 1 a 0.

    

Do elenco atual do Palmeiras, um jogador que já atuou em La Bombonera foi Jean. Em recuperação de cirurgia no joelho, ele não poderá atuar na Argentina, mas guarda boas recordações de uma de suas partidas no local. Em março de 2012, pelo Fluminense, ele entrou no segundo tempo da vitória por 2 a 1, pela fase de grupos da Libertadores. Foi, inclusive, a última vez que um time brasileiro ganhou no estádio do Boca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.