Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Palmeiras termina de quitar dívida de R$ 146 milhões com Paulo Nobre

Diretoria finaliza devolução de empréstimo de ex-presidente do clube antes do tempo previsto

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2018 | 19h46

O Palmeiras terminou de pagar a dívida com o ex-presidente do clube, Paulo Nobre. Após começar a emprestar dinheiro para a equipe em 2014, o antigo dirigente chegou a ser credor de uma dívida de R$ 146 milhões. A previsão era para o valor ser quitado entre dez a 15 anos, porém a diretoria conseguiu finalizar os repasses na semana passada.

+ Moisés só deve voltar depois da Copa

+ Clube conseguirá jogar clássico na arena

A dívida estava separada em dois fundos. O primeiro deles, de R$ 42 milhões, foi pago integralmente em março do ano passado principalmente com as luvas pela assinatura do contrato de transmissão assinado com o Esporte Interativo. Restava, portanto, a outra fatia, correspondente a R$ 104 milhões, que agora está finalizada.

Essa parte final da dívida foi paga em parcelas mensais desde maio de 2015. O Palmeiras depositava 10% da renda bruta para amortizar a pendência. O prazo máximo de pagamento era de 15 anos, mas como o clube conseguiu incrementar suas receitas, conseguiu devolver o valor antes do previsto.

O atual presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, tem como meta quitar todas as dívidas do clube antes do fim do mandato, em dezembro deste ano. Livre das obrigações com Nobre, a diretoria agora trabalha para devolver a Crefisa os cerca de R$ 120 milhões aportados para a contratação de reforços nas últimas temporadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.