Sergio Neves/AE
Sergio Neves/AE

Palmeiras testa favoritismo diante do Universitario

Time alviverde pode empatar, na Arena Barueri, para avançar às quartas na Copa Sul-Americana

BRUNO DEIRO, Agência Estado

20 de outubro de 2010 | 08h02

Jogo em casa, vantagem do empate e rival de pouca tradição. Na Arena Barueri, às 22 horas (de Brasília, com transmissão do estadão.com.br e da rádio Eldorado/ESPN), o Palmeiras tem tudo para despachar o Universitario de Sucre, da Bolívia, na partida de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Além da classificação, uma boa vitória nesta quarta-feira dá moral ao time de Felipão para o clássico com o Corinthians, domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

Veja também:

linkDe olho na Libertadores de 2011, Palmeiras ataca em duas frentes

A reabertura da quarta vaga para a Libertadores na competição nacional, garante o elenco, não mudou a condição da Sul-Americana como prioridade máxima do Palmeiras. "Temos de pensar em ir (à Libertadores) pelo caminho mais fácil, com a oportunidade de ir às quartas (na Sul-Americana) e dar um passo importante para nosso principal objetivo", disse Tinga. "Mas não podemos deixar o Brasileiro de lado."

O meia assegurou que o time não vai se poupar contra os bolivianos para chegar em melhor condição para o clássico. "Temos de saber a hora de dosar e de ir para cima, mas não vamos nos poupar para domingo. Temos de ir com tudo amanhã (quarta), pois é mata-mata e vamos sair sangrando e arranhados", disse ele. "Vamos jogar para vencer e, após o jogo, ver os danos para pegar o Corinthians."

A disputa da Sul-Americana e do Brasileiro simultaneamente tem causado desgaste no elenco, que sentiu bastante o cansaço no empate com o Ceará (1 a 1), após ter retornado da Bolívia. "Nosso time fez o que pôde, apesar do desgaste pela viagem. O time foi bem, correu, marcou. Até eu, que em determinado momento não tinha mais força de chegar ao gol", disse Tinga.

A vitória por 1 a 0 em Sucre no jogo de ida deu tranquilidade para que o Palmeiras jogue sem pressão em Barueri. Para Fabrício, no entanto, é preciso fazer valer o mando de campo, "Temos de ir para cima e impor nosso ritmo. Não dar chance de surpreenderem o nosso time, sem dar espaço para eles", disse o zagueiro, que elogiou o bom momento da equipe. "Viemos desde o início dos campeonatos buscando regularidade e, agora, nós conseguimos."

Ele negou, porém, que a equipe esteja dependente dos gols de falta de Marcos Assunção, que marcou nos dois últimos jogos. "Nós não estamos reféns (dessa jogada), tivemos três boas chances de marcar contra o Ceará. Temos criado bastante com Tinga, Kleber e Valdivia, mas não conseguimos concluir."

Ataque reforçado. Kleber, que cumpriu suspensão no empate com o Ceará (1 a 1), pelo Brasileiro, volta ao time para comandar o ataque. Seu companheiro na frente será Lincoln, substituto de Valdivia, machucado.

De fora do clássico, Gabriel Silva e Márcio Araújo estarão em campo nesta quarta à noite. Na defesa, Maurício Ramos chegou a ser reprovado pelo departamento médico nos exames físicos, mas foi reavaliado e acabou relacionado por opção da comissão técnica. Deve, contudo, ficar no banco para dar lugar a Fabrício.

Ficha Técnica

PALMEIRAS - Deola; Marcio Araújo, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Rivaldo; Lincoln e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

UNIVERSITARIO DE SUCRE - Lampe; Áñez, Aguirre, Albarracín e Marvín Bejarano; Lima, Luis Liendo, Gallegos e Junco; Fernandéz e Galindo. Técnico: Javier Vega.

Árbitro - Antonio Arias (PAR); Horário - 22 horas (de Brasília); TV - Globo, Band e SporTV; Rádio - Eldorado/ESPN (AM700/FM 107,3); Local - Arena Barueri, em Barueri (SP). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.