Palmeiras testa força para a Série B

O Palmeiras tem amanhã o primeiro teste real para medir a força de sua equipe, que vai disputar a Série B do Campeonato Brasileiro. O adversário do jogo, válido pela segunda fase da Copa do Brasil, é nada menos que o campeão do ano passado da Série B, o Criciúma - que, portanto, jogará este ano na divisão principal do Campeonato Brasileiro. A partida começa às 21h40. Como o primeiro jogo é no estádio do Criciúma (Heriberto Hulse), se vencer com dois gols de vantagem, o Palmeiras estará classificado sem necessidade de fazer o jogo de volta. Conseguir esse objetivo, porém, não é nada fácil, reconhece o treinador palmeirense, Jair Picerni. Ele acha remota a possibilidade de sua equipe obter essa diferença e eliminar o jogo de volta, na semana que vem. "É uma partida complicada, o estádio sempre fica lotado e haverá grande pressão dos torcedores", comentou. A classificação antecipada seria bastante comemorada pela comissão técnica, que não terá dois jogadores importantes no próximo confronto: o goleiro Marcos, convocado para a seleção, e o atacante Muñoz, chamado para defender a Colômbia. Além de jogar em Criciúma, onde nunca venceu - perdeu duas vezes e empatou uma -, o Palmeiras terá de bater adversário motivadíssimo pela promoção para a divisão principal do Campeonato Brasileiro. "Futebol é o que acontece no momento e o Criciúma foi campeão da Série B e nós fomos rebaixados", afirmou Marcos. "Vamos lutar para mudar isso em campo." O goleiro recebeu hoje, na Academia, um fã e amigo, Igor Cavalera, baterista da banda de rock Sepultura. "O Marcos é um ídolo", disse Igor, que ganhou uma camisa autografada do campeão do mundo. É apenas mais uma para sua coleção, de cerca de 400. "Viajo muito e ganho ou compro as camisas." Cavalera está preocupado com a má fase de sua equipe. Mas tem um motivo para acreditar num bom resultado: o volante Magrão não sente mais dores na mão esquerda e deve jogar. Só ficará fora se o árbitro Leonardo Gaciba não permitir que entre em campo com a proteção na mão. Os médicos palmeirenses tiveram o cuidado de ligar para a CBF e relatar os procedimentos utilizados. O jogador atuará com material importado na mão, chamado Ezeform, "aceito em qualquer tipo de competição", segundo os médicos. A diretoria corre atrás de reforços. Edmundo, que se ofereceu ao clube, está negociando com o Palmeiras. O zagueiro Thiago e o meia Igor, ambos do Rio Branco, estão perto de um acerto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.