Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Palmeiras toma susto, mas derrota o Red Bull na estreia de Dudu

Alviverde vê adversário encostar no placar durante o segundo tempo, mas consegue vitória em mais um teste para temporada

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

25 Janeiro 2015 | 21h13

O jogo deste domingo serviu para mostrar ao técnico Oswaldo de Oliveira que ele terá de escalar alguns jogadores pedidos pela torcida na equipe, como Dudu e Alan Patrick. Depois de mudar quase o time inteiro no intervalo, o Alviverde melhorou e venceu o Red Bull por 3 a 2 no Allianz Parque.

Antes do jogo, os ex-jogadores Ademir da Guia, Evair e Rosemiro foram homenageados para simbolizar a marca de 100 anos do primeiro jogo do Palmeiras em sua história. No dia 24 de janeiro de 1915, ainda como Palestra Itália, o Alviverde derrotou o Savoia por 2 a 0, gols de Bianco e Alegretti.

Com a bola rolando, logo a empolgação deu lugar ao marasmo. O Palmeiras começou com a mesma formação que derrotou o Shandong Luneng no sábado passado, mas nem de longe lembrou aquele time. Lento e errando passes, o Alviverde não conseguia se impor e em determinados momentos era o Red Bull quem mostrava equilíbrio.

Muito do motivo do Palmeiras estar travado em campo se devia a Mendieta. O paraguaio manteve a rotina de jogar mal e praticamente errou tudo que tentou fazer. Lucas e Zé Roberto, que foram duas boas armas pelas pontas no primeiro amistoso do ano, quase não apareceram e tiveram dificuldade para sair da marcação.



O único que conseguia levar algum perigo era Maikon Leite, que, mesmo com seu estilo atabalhoado, dava velocidade ao ataque e era quem criava alguma coisa na frente. Foi assim que o Palmeiras abriu o placar. Aos 37, o atacante partiu em velocidade pela direita e bateu em cima do goleiro Juninho, que rebateu para o meio da área e Allione mandou para as redes. Apesar do gol, o time alviverde continuava sem fazer uma boa apresentação.

Assim, Oswaldo de Oliveira aproveitou que era um amistoso e mudou praticamente o time inteiro. Só continuaram o goleiro Fernando Prass e o volante Renato, que já havia entrado no lugar de Amaral, ainda na primeira etapa. Saíram: Lucas, Tobio, Vitor Hugo, Zé Roberto, Gabriel, Mendieta, Allione, Maikon Leite e Leandro Pereira e entraram, respectivamente, Ayrton, Jackson, Victor Ramos, João Paulo, Alan Patrick, Robinho, Ryder, Dudu e Cristaldo.

O Alviverde voltou ligado. Com tabelas rápidas e boa movimentação, a equipe conseguiu chegar ao segundo gol. Aos 8, Dudu acertou belo lançamento para Cristaldo, que bateu na saída do goleiro e ampliou. Dois minutos depois, Lulinha aproveitou espaço dado por Victor Ramos e diminuiu para o Red Bull. As mudanças feitas no intervalo deram resultado no ataque, mas a defesa piorou, principalmente com Victor Ramos, claramente sem ritmo de jogo.

Mas do meio para frente, o Palmeiras estava empolgante e conseguiu minimizar o prejuízo da defesa. Aos 30, após boa jogada em velocidade, Cristaldo tocou para Alan Patrick, que cortou Lulinha e bateu com estilo para fazer o terceiro gol, diante de 20.151 torcedores.

Aos 43, deu tempo de Lulinha cobrar escanteio e Anderson Marques descontar. Nos minutos finais, o Red Bull pressionou, mas não evitou a derrota. Assim, o Alviverde encerrou os testes e mostrou que precisa de ajustes, principalmente na defesa, mas pode fazer bonito na temporada.

Mais conteúdo sobre:
futebol Palmeiras Red Bull Brasil Dudu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.