Palmeiras troca de hotel e evita distúrbios na madrugada

Foram oito minutos de foguetório dos torcedores em Curitiba, onde o time enfrenta o Atlético-PR

BRUNO WINCKLER, Jornal da Tarde

21 de abril de 2010 | 13h19

A delegação do Palmeiras enfrentou oito minutos de foguetório, na madrugada desta quarta-feira, no hotel onde está hospedada em Curitiba para o duelo desta noite na Arena da Baixada, contra o Atlético Paranaense, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

O barulho começou às 4h15 desta quarta-feira, quando todos já estavam dormindo. Mas diferente do que poderiam pensar os torcedores do Atlético-PR, os fogos não mexeram com o sono dos palmeirenses.

Precavida, a chefia de delegação do Palmeiras trocou de hotel e escolheu um apropriado para a situação. "Trocamos porque aqui [neste hotel] as janelas são antirruído. Elas bloqueiam cerca de 60% do som externo e além disso todos os jogadores dormiram com protetores auriculares. Não ouviram nada, nada. Gastaram os fogos à toa", disse Sérgio do Prado, diretor administrativo do clube.

Além das medidas contra o barulho, os palmeirenses contaram com a patrulha de duas viaturas da Polícia Militar. Uma ficou a madrugada inteira em frente ao hotel, enquanto a outra fez a ronda na região.

O presidente Luiz Gonzaga Belluzzo e seu vice, Gilberto Cipullo, chegaram nesta manhã a Curitiba. Seis seguranças particulares foram contratados para protegê-los no trajeto entre o Aeroporto Afonso Pena e o hotel onde está a delegação.

Na segunda-feira, cerca de 30 membros da torcida uniformizada Mancha Verde acompanharam a chegada dos jogadores e da comissão técnica. Como virou costume, protestaram contra Belluzzo e Cipullo. E para evitar um possível encontro dos dois com os torcedores, a segurança foi reforçada. Não houve, porém, nenhum incidente.

A delegação do Palmeiras continua concentrada até as 19h30, quando parte para a Arena da Baixada. Quatro carros farão a escolta do ônibus palmeirense até o estádio. A partida começa às 21h50, com transmissão online do estadão.com.br.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.