Palmeiras: uma estréia de alto risco

O Palmeiras que estréia no Torneio Rio-São Paulo contra o Flamengo ? neste domingo, 16 horas, no Parque Antártica ? não é o Palmeiras que Vanderlei Luxemburgo havia idealizado. Desfalques de última hora, reforços apenas prometidos e descuido na inscrição de atletas atrapalharam os planos do técnico, que retorna ao clube depois de seis anos. ?A realidade do clube é outra, bem diferente daquela de seis anos atrás, quando havia um patrocinador forte. O importante é que encontrei um grupo bom, trabalhamos forte na pré-temporada em Lindóia?, disse Luxemburgo, sábado, depois de definir o time. O grupo que Luxemburgo encontrou, embora ele não admita, não rendeu ainda um time de peso. Há mais dúvidas do que certezas na cabeça do treinador. Sábado, desistiu de Adalto na lateral-esquerda e recorreu a Taddei, um operário para toda obra. ?Eu tinha uma equipe na cabeça. Perdi o Galeano, que seria o terceiro zagueiro, por contusão. Depois saiu o Taddei porque dormiu demais (chegou atrasado ao amistoso com o Mogi-Mirim). Coloquei o Claudecir e ele se machucou. Vinha treinando com o Jeovânio e o menino não estava com a situação regularizada. Tudo isso obriga você a rever alguma coisa.? Não foram apenas esses desvios de percurso que provocaram a revisão dos planos. A morosidade nas contratações também colaboraram. O caso de Christian é o exemplo mais recente. Luxemburgo ligou para o atacante e o convenceu a jogar no Palmeiras. Os dirigentes entraram em ação e, por meio do empresário francês Frank Henulda, acertaram a contratação. Christian se apresentaria neste sábado na Academia de Futebol para assinar contrato. De Porto Alegre, avisou que não viria mais e segunda-feira poderá aparecer no Parque Antártica. O problema é que ele conversou com o presidente do Grêmio, José Alberto Guerreiro, e se ofereceu para defender o clube gaúcho. Quem levou Christian ao encontro de Guerreiro foi o empresário Gilmar Veloz. Jorge Machado, outro empresário gaúcho, havia oferecido o artilheiro ao Santos. Christian, reserva do Bordeaux, virou objeto de leilão. Sebastião Lapola, diretor do Palmeiras, garantiu neste sábado que o clube paulista não corre o risco de perdê-lo. ?Estamos tranqüilos. Temos um documento do Bordeaux que garante a transferência do Christian para o Palmeiras.? O documento é um fax do clube francês atestando que o atacante só poderá jogar no Brasil se for no Palmeiras. Luxemburgo também estava seguro de que teria o reforço. Neste sábado, mudou o discurso. ?Fizemos contato com o jogador. Estava tudo certo. Agora, se apareceu o empresário Gilmar Veloz querendo fazer leilão, não estou sabendo. Se o Christian conversou com o presidente do Grêmio e o empresário quer fazer leilão, é melhor ele não vir para o Palmeiras. Não quero um jogador com a cabeça em outro clube.? Luxemburgo também não concordou com as explicações de Milton Del Carlo, o Odilon, gerente de futebol do Palmeiras, para a confusão envolvendo Jeovânio. ?Não tem desculpa, o rapaz (Jeovânio) está aqui há dez dias e sua inscrição na CBF deveria ter sido feita há uma semana.? Odilon se defendeu dizendo que o jogador não apresentou nenhum documento pessoal desde que foi contratado por empréstimo do Figueirense. O clube catarinense só enviou a documentação, atestando que detém o passe de Jeovânio, na quinta-feira à tarde. Sem o documento do Figueirense, esclarece Odilon, o Palmeiras não poderia inscrevê-lo na CBF. Luxemburgo ficou sem Jeovânio, Galeano e Claudecir. E não sabe mais se terá Christian, Alex, Athirson, Euller...

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2002 | 15h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.