Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Palmeiras usa a tática do 'compra 1 leva 2' na hora de se reforçar

Quando negociam com um clube, os dirigentes aproveitam para ver se mais algum jogador interessa

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

16 de julho de 2013 | 07h50

SÃO PAULO - O presidente Paulo Nobre e o diretor executivo José Carlos Brunoro aproveitam a facilidade que têm para fazer negócios e conseguem reforçar o elenco do Palmeiras sem custos. O clube tem adotado uma tática curiosa, que só o tempo dirá se foi boa ou não.

A tática é simples: quando negociam com um clube, os dirigentes aproveitam para ver se mais algum jogador interessa. Nos últimos meses isso aconteceu três vezes. O Palmeiras mira um reforço, durante a negociação passa a se interessar por outro e, no fim, traz os dois – e o segundo ainda vem de graça.

O último caso aconteceu com o Libertad. Mendieta encantou Gilson Kleina e ainda durante a Libertadores os dois clubes começaram a conversar sobre uma transferência. No meio da negociação, o empresário de Mendieta, Régis Marques, ofereceu o volante uruguaio Eguren, que agradou, e o clube paraguaio o liberou sem dificuldade porque ele era reserva. Neste caso, ajudou muito o fato de o agente dos dois atletas ser o mesmo.

No início do ano, Paulo Nobre visitou o Benfica e na bagagem trouxe a promessa dos dirigentes portugueses de que no meio do ano conversariam sobre Alan Kardec. Na época, Felipe Menezes estava no Sport e ninguém o cogitava no clube.

Mas o meia foi liberado pelo clube pernambucano, voltou ao Benfica e Kleina, ao saber disso, pediu sua contratação. Não precisou pedir duas vezes, porque os dirigentes portugueses o liberaram de graça. No fim, os dois chegaram, Alan veio por empréstimo e o meia, em definitivo com contrato por três anos.

Logo após o Campeonato Paulista a tática funcionou com o Mogi Mirim. O Palmeiras contratou o zagueiro Tiago Alves, que tinha acertado com a Ponte Preta, mas preferiu o Alviverde. Pouco depois de sua chegada, o clube anunciou também outro defensor do Mogi, o garoto Thiago Martins.

Essa postura ajuda Kleina a ter mais opções, mas ao mesmo tempo, incha o elenco – o treinador tem 47 atletas sob suas ordens, dos quais 11 sequer atuaram na temporada. Nesse grupo estão Thiago Alves, Thiago Martins, Eguren, Alan Kardec e Felipe Menezes – o único dos reforços que chegaram em "dobradinha" a ter estreado é Mendieta.

Ontem o numeroso elenco palmeirense treinou na Academia de Futebol e Kleina pode ter perdido um importante jogador. Charles levou uma pancada no tornozelo direito em uma dividida com Diego Souza e teve de deixar o treino mais cedo. Hoje será reavaliado para saber a gravidade da lesão. O meia Patrick Vieira também sofreu pancada no pé esquerdo e chegou a ficar uns minutos fora da atividade, mas retornou.

Com o intuito de ver Eguren em ação, Kleina dirige a equipe em um jogo-treino hoje contra o Juventus. A ideia é escalar alguns jovens que não estão sendo aproveitados para definir melhor quem ele quer realmente que fique para a sequência da temporada. A partida também ajudará a dar ritmo de jogo para o volante uruguaio.

Assim que sua documentação estiver regularizada, o que deve ocorrer no máximo em uma semana, Eguren vai ser escalado.

Tudo o que sabemos sobre:
Série BfutebolesportesPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.