Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Palmeiras vacila e empata com Sport

O Palmeiras chegou a estar vencendo por 2 a 0, mas permitiu o empate do Sport, neste sábado, no lotado estádio Palestra Itália. Os 2 a 2 no placar levaram a equipe palmeirense aos 37 pontos na Série B do Campeonato Brasileiro - o time pernambucano tem 28. Como o Botafogo joga na terça-feira, contra o Caxias, e pode chegar aos 38 pontos, o Palmeiras corre o risco de perder a liderança da segunda divisão para o rival carioca.O resultado poderia ser ainda pior para o Palmeiras se o árbitro Loenardo Gaciba não tivesse voltado atrás no lance em que marcou pênalti para o Sport após Weldon ser derrubado fora da área, já nos acréscimos do jogo. Sorte dos palmeirenses que ele acabou sendo avisado a tempo pelo assistente Villi Tissot.Os próprios jogadores do Palmeiras, que sábado enfrenta o Marília, fora de casa, reconheceram que o resultado poderia ter sido bem melhor. "Tomamos sufoco de graça, isso não precisaria ter acontecido", disse o atacante Muñoz.As duas equipes travaram um duelo tático interessante no primeiro tempo. Precisando vencer para se aproximar das primeiras colocações, o Sport foi ambicioso. Ao contrário dos demais times que enfrentaram o Palmeiras no Palestra Itália, abriu mão da retranca. O técnico Hélio dos Anjos adiantou os homens de meio-de-campo e deu liberdade para Juninho Goiano aparecer como homem surpresa pela esquerda.Sem Magrão, suspenso, o Palmeiras apostou na inspiração de Diego Souza e Elson, mas os dois abusaram dos erros de passe. Cansados de esperar a bola chegar ao ataque, Vágner Love e Edmílson recuavam contantemente para buscar jogo. O lateral Lúcio acabou sendo a melhor opção do time de Jair Picerni na primeira etapa.Dessa maneira, raros foram os lances de emoção. O primeiro só aconteceu aos 18 minutos e, mesmo assim, em jogada individual de Vágner Love, que driblou Gaúcho dentro da área mas chutou fraco, facilitando a defesa de Maizena. O Sport, apesar de trocar passes com eficiência na frente da área, praticamente não incomodou. Só teve chance de marcar aos 37, mas Gaúcho, cobrando falta, chutou à direita.O gol que desafogou a torcida palmeirense aconteceu aos 42 minutos. Vágner Love cruzou da esquerda para Élson, que dominou a bola sem marcação na meia-lua e chutou por cima de Maizena.Os jogadores do Sport desceram para o vestiário reclamando ao árbitro Leonardo Gaciba, que não teria marcado um toque de mão de Élson no lance do gol.O jogo ficou aberto no segundo tempo. Em menos de 10 minutos, o Palmeiras criou pelo menos três chances de marcar, duas com Vágner Love e outra com Baiano. O Sport respondeu com Weldon e Ricardinho. Mas aos 29 minutos, após jogada de Lúcio pela esquerda, Muñoz completou para o fundo das redes e fez 2 a 0. O gol poderia tranquilizar a torcida, mas o mesmo Lúcio se encarregou de devolver emoção ao jogo, um minuto depois, ao interceptar a bola com a mão dentro da área. Gaúcho cobrou o pênalti e diminuiu.O duro castigo para o Palmeiras ainda estava por vir. Wágner Mancini, aproveitando cruzamento de Cléber, empatou de cabeça aos 43 minutos e definiu o resultado: 2 a 2.

Agencia Estado,

30 de agosto de 2003 | 18h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.