Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Palmeiras vacila e só empata

O plano do Palmeiras era vencer os sete jogos que ainda tinha em casa para tentar chegar à Copa Libertadores. Após o fraco empate por 1 a 1 com o Paraná, nesta quinta, no Estádio Palestra Itália, o objetivo ficou bem mais distante. Nem tanto pela classificação - 6.º lugar, com 56 pontos -, mas pelo mau futebol apresentado pelo time, que não conseguiu superar um rival extremamente limitado e cuja única pretensão no Campeonato Brasileiro é fugir do rebaixamento.O Palmeiras aproveitou uma das primeiras chances de gol e abriu o placar logo aos 12 minutos, numa jogada ensaiada. Na falta pela direita, Correia rolou para Baiano e o lateral foi feliz: acertou chute forte, no ângulo de Flávio, que nem se mexeu e só viu a bola entrar.Em vantagem, o time da casa seguiu pressionando, mas com pouca convicção. As principais investidas eram pela esquerda, com Lúcio, mas os cruzamentos não encontravam Renaldo e Osmar, visivelmente desentrosados. Do outro lado, Canindé literalmente carregou seu time nas costas. Único jogador de habilidade no meio-campo paranaense, criou algumas jogadas e abriu espaços na defesa adversária. Aos 40, Galvão recebeu na área, chutou forte e obrigou Sérgio a fazer boa defesa.A três minutos do intervalo, o Palmeiras quase ampliou. Correia recebeu de Baiano e tocou de calcanhar para Claudecir, que pegou de primeira, mas Flávio espalmou, no reflexo, para escanteio. No minuto final, Correia bateu falta na cabeça de Osmar, que desviou à direita do gol.No início do segundo tempo, cada equipe criou uma chance para balançar as redes. Cristian assustou Sérgio, na cobrança de falta, e Claudecir por pouco não completou, de cabeça, o cruzamento de Osmar. Mas o que técnico Estevam Soares mais temia, aconteceu: a equipe teve muitas dificuldades na posse de bola e na aproximação com o ataque.Mais na vontade do que na técnica, o Paraná aproveitou a indefinição do adversário e partiu em busca do empate. Na cobrança de escanteio, Canindé cruzou e Messias cabeceou no travessão.De tanto insistir, o Paraná chegou lá. Aos 29, sem marcação, Etto tabelou com Fernando Lombardi pela direita, recebeu frente à frente com Sérgio, tocou por cima do goleiro e, com justiça, igualou o marcador.Nos últimos minutos, as únicas jogadas do Palmeiras foram improdutivos "chuveirinhos" na área. Bem posicionada, a defesa rival não teve trabalho e comemorou o resultado. Revoltada, a torcida palmeirense vaiou o time e o técnico Estevam Soares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.