Palmeiras vacila no Piauí e não elimina jogo de volta

Estreante na Copa do Brasil, o modesto Comercial-PI conhecerá o Pacaembu na próxima semana. Nesta quarta-feira, o time do Piauí mostrou as deficiências esperadas de uma equipe que não entrava em campo há oito meses. Saiu perdendo por 2 a 0 para o Palmeiras, teve espaço para crescer, diminuiu o placar para 2 a 1 e conseguiu levar a decisão da vaga para São Paulo.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

24 de fevereiro de 2011 | 00h06

Mesmo com time misto, o Palmeiras esperava definir o confronto já em Teresina, eliminando o jogo de volta. Repetindo o velho problema de não conseguir mandar a bola para as redes, será obrigado a jogar na quarta-feira que vem no Pacaembu, causando desgaste na equipe que atualmente lidera o Paulistão.

No jogo de volta, o Palmeiras precisa pode até perder por 1 a 0 e se classificar. Com qualquer empate também avança na competição para pegar o Uberaba, que passou pelo Santa Helena, de Goiás.

O JOGO - Perante um time frágil, o Palmeiras só conseguiu criar oportunidades no primeiro tempo quando contou com falhas da zaga adversária. A única exceção foi uma falta ensaiada batida da direita na cabeça de Kleber, que desviou e acertou o travessão.

O placar foi aberto pelo Palmeiras na primeira falha feia da defesa piauiense. Valdívia entrou na área pelo lado direito e viu Adriano absolutamente livre do lado esquerdo. Com um toque leve na bola, encontrou o atacante, que cabeceou cruzado, sem chances para o goleiro, mal posicionado.

Logo em seguida, o atacante teve outra ótima chance. A zaga deu bobeira e a bola sobrou para Adriano, sem marcação. Ele foi afobado e chutou em cima do goleiro, que saiu para o abafa.

A melhor chance de novamente movimentar o placar, porém, foi do Comercial. Em um raro lance ofensivo, Thiaguinho recebeu na esquerda da área, bateu cruzado e exigiu defesa difícil de Bruno. A bola ainda bateu no travessão antes de sair por cima.

Na volta do intervalo, Felipão reclamou da falta de eficiência do ataque: "Tivemos cinco chances e fizemos um gol. Não é sempre que vamos ter dez chances para fazer só dois gols", disparou.

Em dois minutos, Kleber mostrou que a estatística não era bem aquela. No primeiro lance que recebeu a bola na área, dominou segurando a marcação com o corpo e chutou de virada, fazendo o gol que garantia a classificação ao Palmeiras.

Precisando diminuir a diferença no placar, o Comercial partiu para cima e quase empatou com Thiaguinho, que recebeu ótima bola na área, mas foi atrapalhado por Toni e mandou para fora. O Palmeiras, pressionado, jogava no contra-ataque e também teve a chance de marcar. Adriano recebeu a bola em posição legal, chegou a driblar o goleiro, mas o árbitro marcou um impedimento inexistente.

O erro do trio de arbitragem acabou custando caro ao Palmeiras. Pouco depois, aos 29 minutos, em escanteio cobrado da direita, Rafael subiu mais alto que Cicinho na marca do pênalti, cabeceou com precisão e mandou a bola no canto alto direito do goleiro Bruno, que não alcançou.

FICHA TÉCNICA:

Comercial-PI 1 x 2 Palmeiras

Comercial-PI - Herivelton; Barata, Álisson, Rafael e Tiaguinho; Ivan, Binha (Puxinha), Evandro e Izael (Bezerra); Zé Rodrigues (Chrislan) e Toni. Técnico - Aníbal Lemos.

Palmeiras - Bruno; Cicinho (Tinga), Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Márcio Araújo, João Vitor, Patrik e Valdivia (Chico); Adriano (Miguel) e Kleber. Técnico - Luiz Felipe Scolari.

Gols - Adriano, aos 30 minutos do primeiro tempo; Kleber, aos 2, e Rafael, aos 29 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Binha, Valdivia, Álisson, Chrislan, Izael, Thiaguinho e Maurício Ramos.

Árbitro - José de Caldas Souza (DF).

Público e renda - Não disponíveis.

Local - Estádio Albertão, em Teresina.P

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.