Ag. Palmeiras/Divulgação
Ag. Palmeiras/Divulgação

Palmeiras vai ao 'caldeirão' do Boca Juniors para conseguir a paz

Time alviverde precisa superar protestos da torcida e desconfiança para enfrentar rival argentino pela Copa Libertadores

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

25 de abril de 2018 | 07h00

Dois difíceis objetivos aguardam o Palmeiras para o jogo de hoje, às 21h45, contra o Boca Juniors, pela Copa Libertadores. Bater o time argentino no estádio de La Bombonera por si só já é uma tarefa complicada. Desta vez a necessidade vai além do resultado, pois a vitória é importante para acalmar o pesado ambiente de críticas ao elenco.

+ Edu Dracena diz que time entende protestos da torcida

+ Palmeiras promete nova tentativa para anular final

Para alcançar o duplo impacto positivo de uma vitória na Argentina, porém, a equipe vai precisar de autocontrole. O Palmeiras sentiu a pressão de jogar na Argentina logo na chegada a Buenos Aires, na madrugada de terça-feira. Um grupo de cerca de 20 palmeirenses esperou o time no hotel para recepcionar os jogadores com protestos e vaias. O principal alvo foi Dudu, que no domingo reclamou dos xingamentos recebidos em redes sociais.

"Estamos bem tranquilos em relação aos nossos torcedores. Sabemos que estão juntos com a gente e sabem também da nossa insatisfação por não ter ganhado o título paulista", disse o zagueiro Edu Dracena. "Peço para estarem ao nosso lado, como já estiveram em muitos momentos difíceis que passamos."

A missão do Palmeiras na Argentina é complicada. O Boca é um dos times com melhor retrospecto contra brasileiros pela Libertadores. Em 21 jogos como mandante, o time ganhou 11 vezes e perdeu só quatro. Em mata-matas pela competição o desequilíbrio é ainda maior. Em 16 confrontos, somente três vezes uma equipe brasileira eliminou o clube de La Bombonera.

O Palmeiras foi uma das vítimas desse poderio. Em 2000, na final, e em 2001, na semifinal, acabou derrotado pelos argentinos. Embora sonhe com uma vitória para sair da fase ruim, o empate seria bastante importante, embora talvez não resolva os problemas.

Voltar de Buenos Aires com um ponto deixaria o Palmeiras como líder do Grupo 8 (tem hoje 7 pontos contra 5 do Boca) e com dois jogos teoricamente fáceis pela frente. O próximo é no Peru, contra o lanterna Alianza Lima. Depois, recebe o Junior Barranquilla, da Colômbia.

Todos os ingressos para a partida foram vendidos, entre eles os 2 mil destinados à torcida alviverde. O Palmeiras se cobra para recuperar os pontos perdidos no empate por 1 a 1 no Allianz Parque, com um gol sofrido nos acréscimos.

"O Palmeiras vai entrar de igual para igual, não vem aqui para se defender. Da mesma forma que o Boca conseguiu empate, a gente pode, respeitando o Boca, obter um bom resultado", disse Edu Dracena. A equipe deve ter a mesma formação utilizada na vitória sobre o Inter, no domingo.

FICHA TÉCNICA

BOCA JUNIORS X PALMEIRAS

BOCA JUNIORS: Rossi; Jara, Vergini, Magallán e Mas; Nández, Sebastián Pérez e Pablo Pérez; Tevez, Pavón e Ábila. Técnico: Guillermo Schelotto.

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena, Diogo Barbosa: Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Dudu, Keno e Borja. Técnico: Roger Machado. 

Juiz: Alberto Armando (Chile). 

Local: La Bombonera. 

Horário: 21h45. 

Na TV: Globo e Fox Sports. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.